A LONGA CAMINHADA (Não Necessariamente Para o Oeste)

sábado, 31 de dezembro de 2011

O Ano que Nem Começou...



Este ano acabou... mas para mim parece que nem começou, pois foi tão rápido que sinto como se tivesse em 2010. Talvez porque foi o ano que mais fiquei em casa, quase não saindo para nada e também por quase não ter visto os amigos, chegando alguns que nem cheguei a ver. Sinto-me estranho, de um jeito que não sabe para onde está indo e qual decisão tomar logo em seguida. É como se eu tivesse num longo sonho que não se sabe o que é verdade e o que é ilusão.

Sempre fui de refletir sobre a vida, até de forma exagerada... entretanto este ano se superou, deixando todos os meus outros assuntos importante para segundo plano. Não sei se fiz certo ou se será cobrado um longo preço por ter agido assim. Só sei que muitas coisas que eu tinha orgulho e evitava mencionar não me importa mais.

Uma coisa neste período posso dizer que foi positivo: O meu relacionamento com os meus pais. Começo a perceber que quando meu pai falava que ele é o único amigo que eu posso confiar, com certeza estava falando a verdade. Pois muitos amigos (os que considero) nem lembrou de mim e nem tinha tempo para ouvir as minhas tristezas... ser amigo quando tudo está bem é muito bom, não é mesmo?

Pelo menos essas circunstâncias foram ótimas para eu dá o devido valor que tem a minha família, já que sempre não dei muito crédito e agora sei o quanto ela é importante para uma formação sadia de um indivíduo, principalmente nos momentos difíceis... pena que meus irmãos ainda não abriram os olhos para isso da mesma forma que eu abrir. Quem sabe ainda dá tempo para isso, quem sabe...

Bem, agora em 2012 (se o mundo não acabar...) não vou criar metas e muito menos terei falsas esperanças das coisas ou pessoas. Só vou continuar a minha caminhada, mesmo que ainda não tenha encontrado motivo para tal. Acho que nunca encontrarei e mesmo se encontrasse, não faria menor diferença antes...

Nem hoje e muito menos no futuro.

Pancho



Hoje é o aniversário de um amigo da velha guarda. Ele acaba do seleto grupos dos trintões de 81 (na qual eu faço parte). Então resolvi criar essa postagem em sua homenagem.

Bem, conheço Felipe (seu nome verdadeiro) desde quando a gente era moleque e na época nem era tão amigo dele, era mais da prima dele, a Danielle, que através dela que conheci ele e seu irmão. Lembro que na época, existia uma rivalidade entre os prédios da Vila Brigadeiro Ivo Borges, onde cada bloco, os moradores o defendiam como fosse um país, he, he... e isso era mais vísivel no bloco onde Felipe morava.

Parece que foi ontem, quando meu irmão e eu fomos para o seu bloco como se fosse 2 bandeirantes explorando novas terras e tendo problemas com os nativos, he, he, he... demorou um pouco até que as pessoas começasse a nos aceitar. Mais tarde acabamos nos tornando grandes amigos, mesmo que os pais não gostasse tanto assim da ideia (em especial a mãe dele).

Grandes tardes de Sábados ficamos na sua casa jogando Mega, Super Nes, Sega CD e por último Neo Geo... ô tempo bom!!! Entretanto como ele um dia já falou: "o que passou foi bom, mas o que importa é o presente e o futuro". Confesso que no ínicio, quando ele disse essa frase numa conversa que tive pelo MSN, não entendi muito, pois para mim como pode esquecer de um tempo que foi tão bom... mas aí depois anos, percebi o que realmente ele queria dizer com aquelas palavras. E hoje faço delas as minhas.

Ele também desenha, faz tiras para internet de porquinho amarelo mal humorado que luta contra a conspiração do universo para ser feliz. Quem tiver interessse em conhecer, é só clicar no link abaixo:


Eu recomendo... acompanho sempre. Enfim... é isso, essa postagem é uma homenagem para um amigo de longa data e que, diferente de certas pessoas que conheci a pouco tempo, nunca deixou de ser e nem me abandonou. Amizades como a do Pancho são poucas, mas pelo menos são verdadeiras e é para vida toda.

PARABÉNS GRANDE AMIGO!!!

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Ateu: O Modismo do Momento



Teve um tempo, mais precisamente nos anos 90, que tudo que é quanto só se falava de horóscopo, Nova Era, misticismo entre outras coisas... depois, no começo desse século, começou o BOOM das Igrejas evangélicas, onde tudo que é gente estava se convertendo ao protestantismo, para seguir os passos de Jesus. E hoje, vemos uma onda de ateus proliferando na Internet, principalmente em Vlogs.

Eu não tenho nada contra essas crenças, afinal cada um tem o direito de acreditar ou não no que quiser... mas o que incomoda a forma como cada uma aparece como se fosse a salvação da humanidade. E agora a bola da vez é o ateísmo.

Antes que alguém fale, eu sei que sempre existiu ateus na história... como da mesma forma existem cristãos, místicos entre outras doutrinas ou filosofias de vida. Só que quando se torna moda, isso fica mais evidente, pois cada uma tem a mesma ladainha, de que agora estamos com a verdade e que os outros estão numa profunda ignorância. Coloca-se a sua opinião acima das demais e ainda passa a imagem de "tolerantes"... e com os ateus não seria diferente, pois se tem uma coisa que eles não são é tolerantes. E fica evidente com os neoateus, que se assemelham com aqueles menininhos pequenos que nas brincadeiras de criança ninguém pudia pegar... mas eles poderiam pegar todo mundo, os chamados "café com leite".

Um exemplo: Eles costumam ridicularizarem os outros, fazendo brincadeiras de mal de gosto com as crenças alheias, entretanto se é questionado, diz que é liberdade de expressão e só está criticando as ideias. Será mesmo? Já vi cristão sendo chamado de burro, ser comparado a Hitler e que sua fé ser tão nociva quanto crack.

Agora vai dizer o contrário? No ano passado, um jornalista de um programa policialesco da tevê comentou um crime em que dizia quem só pode ter feito não deve ter Deus no coração. Pronto! Foi estopim para uma onda atéia se formar e querer processar o infeliz, principalmente quando este jornalista fez uma enquete, onde perguntava para os seus telespectadores se eles acreditava em Deus. Engraçado foi a forma como os ateus fizeram para combater o preconceito: Com mais preconceito!!! Criou-se uns cartazes de ônibus feitas pela ATEA (Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos) onde fazia comparações muito tedenciosas para o lados dos ateus, mostrando religiosos como ruins. Frases do tipo "Religião não define caráter" ou "Somos todos ateus com os Deuses dos outros" viraram bordões repetidos em exaustão pelos ateus modinhas... semelhantes aqueles falácias de que "se ateu é religião, descalço é uma marca de tênis ou careca seria tipo de cabelo".

Ou seja... é como sujo falando do mal lavado.

Na minha opinião sincera, sem dogmas e apenas como ser humano que vive nesse mundo tentando aprender sempre... é que nós todos estamos no mesmo barco: Não sabemos de onde vimos, quem somos e para onde vamos. Uns atribui a nossa existência a seres divinos, outros que viemos do mero acaso, mas no íntimo, no íntimo mesmo é que ninguém sabe ao certo, a não ser que um dia, cada um de nós iremos morrer. Talvez quando isso acontecer, só aí teremos respostas para esse dilema que o ser humano tanto questiona... ou então nem assim, pois é bem provável que nossa consciência desapareça primeiro.

Enfim, qual será a próxima moda?

domingo, 25 de dezembro de 2011

Baile do Menino Deus 2011



Bem... fui mais uma vez ao Baile do Menino Deus. Este ano foi a sexta vez consecutiva. Fui no mesmo dia (23) que fui em 2008, sei lá... talvez por causa da companhia que estava naquela vez. Só que desta vez (como na maioria) eu fui sozinho. É melhor assim, pois não precisa da boa vontade dos outros quando se quer ir para algum lugar.

Este ano teve algumas novidades, mas nada que possa dizer que vale a pena a quem já foi nos anos anteriores... para dizer a verdade, só vale pena ir novamente se você gosta muito da apresentação e não liga para o repeteco... porque se for para ver algum diferencial digno de nota, só está perdendo seu tempo.

Eu particularmente gosto muito deste espetáculo, mas ultimamente estou começando a ficar meio que enjoado... talvez este ano seja a última vez. Isso vai depender do meu humor no próximo ano. Entretanto, para quem ainda não foi, eu recomendo pois vale muito a pena. Aqui embaixo, uma das músicas que eu gosto muito: Romã, Romã.

FELIZ NATAL PARA TODOS!!!

Marconi Lira



Hoje está fazendo aniversário um cara que, apesar de ser muito grosso e chato pra caramba, gosto muito. Seu nome é Marconi Lira.

Marconi eu conheci na época que entrei no curso de Artes Plásticas da UFPE em 2007. Lembro bem o bocó perdido no meu do CAC (Centro Universitário), procurando onde era a sala do nosso curso. Como já tinha achado antes o local, comecei a procurar os alunos perdidos e ajudar a encontrar o caminho. Marconi foi um deles.

Bem prático e objetivo, ele tem uma forma de ver vida que a hoje admiro e estou seguindo. Entretanto, tem horas que suas brincadeiras são muito estúpidas e isso as vezes me irrita. Não é toa que teve certa vez, estava tão abusado... que criei um quadro em sua homenagem: Matando um certo Alfredo


Se não tivesse feito isso era capaz de ter esganado ele de verdade, he, he, he... mas enfim, tirando os (MUITOS) defeitos que ele tem, vejo em Marconi um amigo especial e fico feliz por tido a oportunidade de te-lo conhecido.

Parabéns ", , "!!! Parabéns pelo seu dia.

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Dumbo



Fui com meu pai comprar um fone de ouvido novo. Depois de ter comprado 2 (um para mim e outro para ele), fomos ao Shopping Guararapes comprar um DVD que estava afim de comprar: Dumbo.

A 1ª vez que vi este desenho foi quando eu era ainda criança, o videocassete nem era tão popular e dificilmente alguém tinha visto um CD na vida. Era um tempo da proliferação de locadoras e os vídeos Disney era os dos mais populares. Eu me lembro que naquela época o meu pai só alugava de atacado: De 3 a 5 filmes, muito bom aquele tempo... tenho lembranças até hoje.

Bem... esta animação conta a história de um elefantinho que nasceu com uma caracteristica peculiar: Tem orelhas muito grandes. Zombado por todos e até de sua espécie, ele só encontra conforto no amor de sua mãe e na estranha amizade que tem com um rato. O que é sua tragédia, mais tarde torna-se o seu triunfo... principalmente quando Dumbo conhece um grupo de corvos cheios de ginga que o ajuda aflorar o seu talento até então escondido. É isso, o desenho mostra como a gente deve acredita em si, principalmente quando ninguém acredita, também mostra que amizades verdadeiras e o amor familiar pode nos ajudar a enfrentar essas barreiras que aparece na nossas vidas. Eu nem me lembrava como ele tem uma mensagem tão bonita... e muito menos que esta película foi de grande importância para os estúdios Disney.


Na época, o estúdio sofria uma grande crise por causa de 2 fracassos sucessivos na bilheteira e eles precisavam de uma animação que pudesse tirar a empresa do vermelho. Como teria um caixa bastante modesto comparado com as produções anteriores, teria que se valer de toda criatividade humana possível na ocasião. O curioso que para isso, o método foi voltar as origens, deixando de lado os estudos mais técnicos e fazendo uma animação mais simples do que as anteriores. A forma colocar isso em prática foi adaptar uma história de livro para crianças, em que Walt Disney tinha comprado os direitos. Para surpresa de todos, Dumbo foi um sucesso espantoso, ultrapassando todas as expectativas e criando um clássico de extrema importância. Hoje a quem diga ele foi o auge e o último desenho da era de ouro do grupo Disney. Ele com certeza é um dos meus favoritos.

Um desenho que recomendo a todos: De 0 a 70 anos!!!

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Tiffany Towers



Já que a última peituda que falei era natural, nada mais justo falar agora de uma siliconada, que até pouco tempo pensava ser a única forma das mulheres terem seios deste tamanho. A escolhida foi Tiffany Towers. E por que escolhi ela? Simples! Ela é uma representante de peso de uma época muito divertida da minha vida: Bisbilhotar as revistas de mulheres peladas do meu irmão (e também porque hoje é o aniversário dela).

Nos anos 90, tanto a Playboy como Sexy era fraquinha em poses quanto em modelos, e pelo jeito, meu irmão com certeza não sastifazia com esse tipo de publicação. Ele ía muito para centro da cidade se preparar em cursinhos para os concursos públicos, principalmente os militares. Não sei se de fato chegou aprender alguma coisa, porém uma coisa que eu sei que ele aprendeu foi comprar revista de mulher pelada estrangeira nos sebos (eu também logo em seguida, como a revista de Cindy Fulsom).

Era uma época em que as revistas estrangeiras circulava com mais facilidade, afinal o Dólar valia menos que o Real e elas custavam bem barato em relação o que é hoje. Tinha muitas revistas que se vendia em bancas. De vez em quando pegava eu admirando aquelas mulheres boazudas nas capas de revistas. O meu irmão guardava na caixa de videogame que ficava na sua cama ou dentro de uma assombrosa caixa que acho que era de fogão. Toda vez que meu irmão saia sempre aproveitava para dá uma conferida... e numa dessas tinha Tiffany em algumas fotos de algum evento. Fiquei embasbacado por aquela garota loira de peitos monstros!? E olhando melhor na revista, vi que tinha muita propaganda de vídeos pornôs e ela estava no meio. A revista que meu irmão comprou não era necessariamente de peitudas, apesar de ter algumas com belos seios... mas graças a ela, pude anotar nomes para mais tarde, procurar na internet fotos dessas maravilhosas peitudas.

Ops! Contei uma história grande, mas quase não falei de Tiffany... pois bem, contarei agora: Ela trabalhou em muitas revistas e se aposentou no ano 2000. Mas de vez em quando ela aparece em vídeos por aí. Apesar de ser silicones, seus seios tem momentos de possui uma naturalidade que encanta qualquer um. Tanto isso é verdade que vendo seus vídeos, não tem como não ficar sem tesão. Porém para infelicidade dos amantes de peitos, ela retirou as próteses... porém o motivo foi justificado: Uma delas estourou!

Enfim, não é porque sou agora adepto de seios totalmente naturais que vou deixar de comentar essas que um dia foi meus sonhos mais deliciosos... ui!

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Crepúsculo



Ontem passou na tevê um filme que ultimamente está tanto fazendo sucesso como criando ódio. Seu nome: Crepúsculo. Eu já tinha visto antes e gostaria de ver novamente para saber se o que achei do filme na época era de fato a minha opinião ou não. Bem... confesso que na época dos cinemas, vi o trailer na tevê e achei a história interessante, pois um vampiro que se apaixona pela sua vítima e é o "mocinho" da trama fez com quisesse assistir.

Entretanto quando vi não gostei, achei a história um pouco monótona e talvez as minhas expectativas foram grande demais. As únicas partes boas que eu possa citar seria as cenas das lutas, que arrisco que foram até melhores que as de Dragon Ball Evolution. E fim, não tenho mais o que dizer.

Seriam tão bom se as pessoas que não gostam tivesse um pensamento parecido com o meu... mas não, tem que mostrar seu ódio gratuito e desfazer das pessoas que gostam daquilo que elas detestam. Engraçado que muitos desses se consideram os "expects" de vampirismo e contestam a história, dizendo que o personagem de Edward não tinha nada de vampiro. Interessante a forma como eles falam, como se de fato existisse vampiros no mundo real. Ora, isso é apenas uma lenda... e se alguém quiser mudá-la ao seu bel-prazer, que mal há?

Encerro esta postagem dizendo que não gostei da história... mas não chego a dizer que é essa porcaria que alguns desocupados vivem falando. Se tem quem goste só mostra que a autora tem seu mérito, que cada um tem seu gosto e esse não é o meu... simples assim. Um conselho que dou para quem realmente gosta da série: Que não tenha vergonha de gostar só porque aparece um ou outro que fica perdendo tempo odiando.

Afinal, tudo que é popular sempre aparece os chatos para serem do contra, sempre...

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

O Palhaço


Assisti junto com a minha mãe.

A gente quando chega nessa época, sempre tem aquela correria de comprar presentes, coisa e tal. Então, resolvi me precaver e no início do mês já comprar as coisas. Aproveitei e levei a minha mãe para vi comigo... Sabe como é, a matriarca sempre sabe o que é melhor para o seu filho. Entre uma compra e outra, pensei em arrastar a velha para assistir um filme... mas qual seria? Simples! Um filme nacional seria uma boa pedida.

Até poucos antes da sessão não sabia de nada da história, além de uma coisa ou outra. Fui mesmo por causa do Selton, pois todos os filmes que assisti com ele, não me arrependi. E mais uma vez essa tendência foi cumprida. É um filme muito bom e eu recomendo a todos para assistir.

Diferente do que se possa imaginar, este filme não trata necessariamente de uma comédia e talvez algumas pessoas podem acabar não gostando. Na verdade ele tá mais para mostrar os bastidores do circo, o que acontecem quando espetáculo acaba, o público vai embora e os integrantes circenses voltam para suas vidas normais.

A única coisa que não gostei é que a sessão estava muito escura. Só que aí eu não sei se a culpa é necessariamente do filme, pois acredito que seja o projetor da sala do cinema que a gente foi. Salas assim dá um sono...


Mas isso não impediu da gente assisti essa história ótima. Agradeço a Deus por este dia maravilhoso que passei junto com a minha mãe; a Selton Mello por dirigir, produzir e atuar nesse brilhante filme e também para mim mesmo, por conseguir arrastar a minha mãe para o cinema depois de... 30 anos (!?), já que a última vez que foi em um, eu estava (pasmen!) na sua barriga. Não é a toa, a velha tinha quebrar jejum comigo, he, he...

domingo, 11 de dezembro de 2011

O Gato de Botas



Fim de ano e eu não poderia deixar de assistir mais uma animaçãozinha. E quem me conhece, sabe como eu gosto de gatos... então aproveitei o lançamento de Gato de Botas onde 2 assuntos que eu adoro.

Com o fim de Shrek, a Dreamworks resolveu contar a origem de um de seus personagens mais famosos. E disso que se trata o filme: Conta a história do gato amarelo de sotaque espanhol. Apesar de não ser muito ligado ao personagem, tem motivos para gostar dele, por me lembrar o meu saudoso Baltazar. Engraçado que só percebi a semelhança bem depois.

A película conta como o Gato apareceu em um orfanato, como ganhou as suas famosas botas entre outras coisas. Como é de se esperar, ele não conta necessariamente a história do Gato dos contos infantis e sim a história da versão "Shrek" do Gato. E seguido essa mesma linha dos filmes do Ogro, vemos uma mescla de contos como por exemplo: João e o Pé de Feijão; A Gansa dos Ovos Dourados; Humpty Dumpty entre outros.

Qual é minha sobre a animação? Bem... ela não chegar ser uma coisa digna de surpreender, mas consegue divertir qualquer não esteja com muita expectativa. Quem conhece as animações de Shrek, não vão vai estranhar a aventura solo do Gato de Botas, que pelo jeito tem grandes possibilidades de ter continuação, mas acho que isso só vai depender do sucesso das bilheteiras. Vamos esperar para ver.

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

10 Anos sem o Meu Avô



Pois é... nem parece, mas já faz 10 dez anos que avó materno, chamado Ailton Pierre de Souza, partiu desse mundo. Na época eu só tinha 20 aninhos e nem sabia nada vida (e que pelo jeito continuo não sabendo). Lembro que naquele momento eu estava sem rumo e por isso estava buscando as minhas raízes, pois tinha "me formado" no 2º grau e não sabia o que fazer com aquela relativa escolaridade.

Até meados do ano 2000, meu avô morava numa casa que o lugar hoje é a estação de Porta Larga. Ele teve que sair e processo de indenização foi desgastoso, felizmente tudo correu bem. Meu avô ficou morando agora perto da minha casa. Só assim, tive mais contato com aquele que, mesmos com os laços de sangue, era como um estranho para mim. Achei que teria como recuperar o tempo perdido, mas infelizmente um ano depois ele faleceu.

Antes não tinha aproximação, talvez por causa de certos mal resolvidos entre ele e minha avó ou porque não fui estimulado a ter esses sentimentos. Hoje me arrependo por dá muito atenção a coisas fúteis do que em assuntos que valem muito mais. De qualquer forma os raros momentos que passei com ele nos seu último ano de vida, valeu a pena.

Penso que por pensamentos egoístas de mim e dos outros membros da minha família, muitos momentos legais poderia ter sido vividos e não vivemos... e um deles era passar mais tempo com o meu avô.

sábado, 3 de dezembro de 2011

YOUNI



Aproveitando que hoje é o dia do deficiente físico, venho aqui divulgar uma rede social que é um pouco diferente das convencionais: Ela é voltada para o público deficiente, mas também para aqueles que, assim como eu, luta pelos direitos por essa classe tão esquecida pela sociedade.

Ela foi desenvolvida por amigos meus e ainda está em fase de teste. Por isso, caro leitor do blog, se por acaso você compartilha dos mesmos ideais, então participe e faça valer os direitos dessas pessoas que também são cidadãs brasileiras. Para participar, é só acessar link abaixo:


Ficarei feliz quem participar e desejo boa sorte aos idealizadores nessa empreitada.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Shingo Araki



Uma notícia muito triste eu acabei saber... que Shingo Akari de 72 acaba de falecer. Alguém pode perguntar: "Tá, e quem é esse cara?"

Aí eu respondo que ele é o responsável por 80% do sucesso de Saint Seiya (mais conhecido por essas bandas por Cavaleiros do Zodíaco).

Shingo começou a se interessar por desenho com 5 anos de idade e se formou na prefeitura de Aichi. Aos 18, começou os seus 1º trabalhos como desenhista na Machi Magazine. Posteriomente, uniu-se com a Mushi Production como animador e depois fundou o Studio Jaguar. Fez muitas adaptações de quadrinhos japoneses (mangá) para animações... e entre elas está Cavaleiros, que já conhecido do público brasileiros.

Ele foi character designer da série, onde alterou as armaduras (a principal mudança), cores de cabelos (que no mangá não tinha cabelos... digamos... coloridos), entre outras coisas. Quando assistir a série pela 1ª vez em 1994, nem na mente passava que as armaduras eram tão diferentes no mangá (para dizer a verdade, nem sabia que por tradição, uma animação japonesa geralmente tinha um quadrinho antes).

Quando tive 1º contato com o mangá, percebi o motivo delas tenha sido mudadas. Não desmerecendo o autor do mangá Masami Kurumada, mas Shingo colocou um toque na série que deixou ela mais bela, pelo menos para mim isso é óbvio. Junto com a direitora de animação Michi Himeno (que também era a sua esposa), conseguiram um trabalho tão belo que é reconhecido internacionalmente até hoje. Sem contar que muitos elementos criados no anime foram incorporados em outras mídias como próprio mangá em outras séries dos Cavaleiros.


Bem... é isso. Aqui foi apenas uma pequena homenagem de um fã que ele nunca soube de sua existência. Quem sabe se existir um outro mundo, ele esteja vendo essa postagem que criei com muito carinho e admiração. Valeu Shingo, obrigado pela sua versão de Cavaleiros. Vá em paz e torna-se uma estrela lembrada sempre por nós.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Uma prévia...



Fim de ano já batendo a porta e é hora de pensar nas coisas que se pode fazer ainda este ano. No meu caso acho que nada, mas quanto ao blog, penso seriamente mudar um pouco a minha postura e a importância que dou para certos assuntos. Talvez alguns são serão mencionados até este mês, outros ainda no outro ano, pelo menos apenas no início dele.

Não sei se já falei aqui, mas um dos motivos de ter feito um blog foi de escrever o que sinto e falar de coisas que passa na minha vida... tudo bem que no início eu só escrevia bobagem, porém vejo que existem postagens muito interessante que eu tenho que ter orgulho disso, independente se esse blog aqui é bem acessado ou não, isso é o de menos. O que vale que tive muito felicidade com esse treco.

Só que o tempo está passando e não posso dá a devida atenção para as minhas outras responsabilidades sem que isso afete um pouco o ritmo das minhas crônicas demoníacas, he, he... acredito que mais de 50% do que eu queria transmitir sobre mim nesse blog eu conseguir nesses quase 4 anos (caramba! Isso aqui já tem isso tudo!?) e acho que de agora em diante posso diminuir o ritmo por aqui.

Agradeço a todas as pessoas que tiveram saco de ler o que escrevo por aqui, os meus psicólogos (seguidores) que tentaram entender um pouco da cabeça de um projeto de tentar ser humano e a todos 45 amigos que fizeram a caridade de curtir a minha página no Facebook (e outros 5 que não são meus amigos também). Enfim... e para aqueles que não gostarem, tudo bem... de qualquer forma vou continuar escrevendo mesmo.

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Os 10 anos da Revelação Suprema



He, he, he... acharam que eu não iria falar? Para mim seria uma heresia não comentar do MELHOR ensaio de todos os tempos (passado, presente e futuro) com a ÚNICA Mulher que tem a beleza absoluta em todo universo. Resolvi deixa como a última postagem de propósito.

Bem... o que posso me lembrar daquele ano de 2001? Uma coisa curiosa é que foi um ano inútil para mim como está sendo esse aqui e estou praticamente abandonado, onde ninguém sente a minha falta mais uma vez. Poderia lamentar o meu destino para todo o sempre, mas não, pois quem viu este ensaio não pode desisti da vida.

Irônico é que eu, um devoto exemplar da Deusa Suprema, não ter comprado a revista quando saiu nas bancas (isso mesmo, a edição que tenho é de segunda mão). Mas acontece que na época eu tinha me desfeito de várias revistas assim e prometi para mim mesmo que não voltaria mais a comprar. Pois é, promessa furada...

Felizmente eu voltei atrás e 2 anos depois comprei num sebo um exemplar praticamente nova da revista, parecendo ter saído naquele mês. Só assim pude saber o que é REALMENTE uma beleza feminina.

TODAS AS GLÓRIAS A DEUSA SUPREMA ELLEN ROCCHE!!!

domingo, 27 de novembro de 2011

Feira Japonesa do Recife 2011



Hoje foi mais uma dia da Feira Japonesa do Recife, onde este ano foi a sua 15ª edição. Desde que tive conhecimento sobre ela em 2003, sempre estive presente e no próximo ano, caso eu for, será a minha 10ª participação do evento.

Diferente do ano passado, até que a edição de 2011 estava interessante para minha surpresa. Lembrou (um pouco) quando a feira japonesa parecia... uma feira japonesa. Por chegar cedo, conseguir visitar todas as estandes sem muito trabalho. E acho que este é o segredo: Chegar cedo, para poder ver as coisas com calma, em paz e segurança. A não ser que você não queira ver uma feira de verdade e sim uma versão nipônica do "Galo da Madrugada", para isso basta apenas chegar depois do meio dia.

Entretanto, apesar de ir logo no início, aquele horário já tinha um público considerado, principalmente na hora da cerimônia de abertura, onde vários representantes da organização se apresentam e a quebra do barril de saquê. Falando nisso, é notório no vídeo que fiz a falta de respeito que alguns mal educados tem na hora que cônsul está lendo um texto de abertura do evento. E isso já acontece em quase em todas edições... muito desumano desses caras principalmente quando o teor se referia da tragédia que aconteceu no início deste ano. É por causa de uns idiotas assim que a reputação dos brasileiros é tão mal falada, uma vergonha alheia. Na boa, eu sou a favor de tirar a quebra do saquê no próximo ano.


Bem, tirando os detalhes dos mal educados, o evento foi legal como já falei antes. Até a hora que fiquei (2 horas e meia) ele supriu todas as minhas expectativas. Mas eu vou ser sincero: Não estou com o mesmo entusiasmo que já tive em outrora. Talvez pelo menos para mim é hora de começar a conhecer coisas novas e deixar a Feira Japonesa para novas gerações. Entretanto pretendo ir em algumas outras edições antes dessa decisão, pois quem sabe no futuro as coisas mudem... vamos ver no ano que vem, que com certeza eu ainda irei.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

A Bela e a Fera



Este mês esta animação completa 20 anos. Eu pensei que o desenho que tinha sido lançado em 1991 era o da Pequena Sereia, mas me enganei. Engraçado é que NUNCA assisti este desenho na minha vida (nem mesmo quando passou na Globo recentemente, onde só assisti algumas partes).

Talvez isso se deve porque na época eu tinha acabado de ser reprovado (na verdade, um ano depois) e toda vez que lembro deste desenho, lembro deste fatídico ano. Só que acho que passou muito tempo para ter trauma de um desenho que pela lógica, não tem nada haver com o que aconteceu comigo, não é mesmo?

Bem... o interessante que até pouco tempo atrás nunca parei para pesquisar a origem da história, no máximo a única coisa que sabia era um seriado trash dos anos 80 que passava na Globo e que eu erroneamente pensava que a animação da Disney tinha sido baseada (criança é assim mesmo, fazer o quê...), mas hoje sei que trata-se de um conto de fadas francês em que teve várias versões, onde tanto a série da tevê quanto a animação foram inspirados. Se por acaso algum dia encontrar o conto em uma versão traduzida, não deixarei de ler...

Mas enquanto isso não acontece, quem sabe eu compre o DVD especial da Disney dos 20 anos do desenho e finalmente assisto o filme completo... é uma possibilidade.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Cavalo Preso



Ontem de noite estava eu sossegado na internet quando soube pela minha mãe que tinha um cavalo preso na frente na minha casa, quem tinha visto foi minha irmã que tinha chegado da igreja. O coitado caiu num buraco que a prefeitura de Jaboatão dos Guararapes "inteligentemente" fez na rua onde moro para ver se assim resolve o problema dos alagamentos... ou seja... mais um paliativo.

Até agora essa vala não serviu para nada, pois em época de chuva, a rua continua alagada. Só serviu mesmo para criar um fosso em frente nas casas, no maior estilo de castelo medieval. Além também de servi como perigo ambulante, já que além do cavalo, um carro de taxi ficou com suas rodas presas. A cena foi tão grotesca que acabei esquecendo de gravar ou tirar foto na época... entretanto nem precisou esperar muito para ter um caso semelhante, como foi o do cavalo.

Engraçado é nossos governantes: Pede altos impostos, ameaça colocar nossas casas em leilões caso não pagamos, mas ao invés disso, retribui os nossos esforços com micareta fálida que só serve para trazer marginais para perto da gente... é ridículo isso! Eu moro na Rua Nossa Senhora do Loreto a mais de 15 anos e até hoje não apareceu um só político tentando resolver nossos problemas... isso é deprimente!!


Quanto ao cavalinho, a sorte foi que a minha mãe chamou os bombeiros e eles vieram salvar-lo. Eles até demoraram um pouco por 2 motivos: Deve ter pensado que se tratava de um trote (o que infelizmente é bem comum) e porque a minha rua é de difícil acesso (mesmo sendo rua principal) com um monte de buracos e muito mal iluminado. De qualquer forma o que importa no momento que ele está bem.

O problema agora saber quem é o dono dele.

domingo, 20 de novembro de 2011

Aniversário de Aloi



Hoje fui junto com a minha mãe visitar a minha prima Aloi para um reunião familiar de comemoração do seu aniversário. Foi a 1ª vez que fui e achei interessante conhecer lugares novos. Lá teve um almoço muito gostoso e também um encontro familiar que a tempos não tinha, um encontro que fazer com a minha avó a uns 2 anos no Natal, se infelizmente não tivesse falecido.

Falando nisso, começo a perceber que desde de sua morte, percebo que a nossa família está começando a tentar recuperar alguns que ela transmitiu, mas com o passar dos anos tinha se perdido. Tem que se parar de reunir a família apenas em velório, isso é mórbido demais até para alguém alternativo como eu.

Foi muito bom, pois eu vi alegria na minha que não aparecia a muito tempo. Talvez por sempre ficar em casa e quase nunca sair, ela não sente muito ânimo nas coisas. Eu como nesse ano estou praticamente em casa, começo a entender a sua situação... tem gente que começa a dá valor a pequenas coisas realmente importante apenas quando já é tarde, entretanto para mim estou tendo a chance de redimir a tempo.

Bem... quanto a aniversariante, eu nunca fui de ter intimidade com a minha prima que até pouco tempo atrás eu chamava de tia (ela é prima mesmo da minha mãe, eu sou primo de 2º grau), mas acho que isso se deve por causa do meu jeito sério e calado que puxei do meu pai, jeito esse que faz as pessoas se afastarem de mim ou pensar equivocado ao meu respeito. E isso é desde quando era pequeno.



Mas acho ainda a tempo de recuperar laços até então frágeis. É só querer mudar de atitude que as pessoas começam a te ver com outros olhos. Sempre ouvia isso quando mais novo, mas nunca dava créditos... agora eu sei que isso é uma pura verdade. Então é isso: Parabéns Aloi, parabéns pelo seu dia!!

sábado, 19 de novembro de 2011

Dia Mundial da Filosofia



Hoje eu fui para Nova Acrópole, uma escola de filosofia que tem na minha cidade, comemorar o "Dia Mundial da Filosofia". Acho que esta vez é 3ª vez que vou, se não me engano. Lembro de já ter convidado os meus colegas de curso, mas como sempre eles fuleram comigo. Por isso nem faço mais convites ultimamente, pois é melhor ir sozinho do que com pessoas com má vontade dos infernos.

Eu acabei chegando um pouco tarde e acabei perdendo a 1ª palestra, que se tratava de um vídeo. Depois teve uma parada para o café e por fim uma palestra ótima sobre Prometeu. Nela a palestrante falava um pouco do mito desse titã e também a sua relação com os homens.

Prometeu junto com seu irmão Epimeteu foram imcubidos de dá as qualidades para seres vivos. Quando Prometeu foi analisar o trabalho do seu irmão, viu que ele esqueceu do homem. Então, ele roubou o fogo dos céus e deu para a raça humana. Assim que soube, Zeus ficou enfurecido e castigou o Titã a permanecer preso numa rocha e ter seu fígado devorado por uma águia, sendo restaurado no fim do dia para assim ser devorado pela mesma ave na manhã seguinte.

Gostei muito do que ouvi, pois consegui me identificar em todo momento e assim entender a minha situação que estou vivendo. É uma pena que a minha câmera já estava com bateria fraca, já que valia a pena ser registrado. Pelo menos eu pude ouvi e perceber o quanto posso usar o que ela falou no meu cotidiano. Sinceramente valeu pena ter ido. Pena que meus amigos nunca se interessem por essas coisas... trouxas!

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Wilha



Faz tempo que não falo de amiga alguma por aqui. Então, aproveitado mais uma data de aniversário, eu vou falar desta que já conheço há 3 anos. Seu nome é Wilha Roberta, mas também conhecida pelo apelido de "Tuca". Conheci na turma de Piscologia de Educação 6, a mesma que conheci Cintya.

Ela é de Limoeiro, do interior do meu estado e até pouco tempo morava na Casa de Estudante da Universidade para estudar Geografia, mas agora ela já se formou.

Com todo o devido respeito, Wilha me chamou logo a minha atenção pelo seu jeito gostosona de ser (peitão, bundão...), mas como é de costume, esse tipo de meninas só faço admirar e nem chego perto, pois sou muito tímido. Entretanto extrovertida como ela é, sempre conversa comigo toda vez quando me encontra. Hoje somos bons amigos.

Naquele tempo eu era um aluno mais responsável e mais preocupado com os estudos e mesmo com a belezas dessas garotas de Geografia, ainda sim continuava a prestar atenção na aula.

Talvez eu precise um pouco daquele espírito que tinha para deixar me abater como aconteceu nesses últimos semestres. Com amigas como Tuca, isso será mais fácil de acontecer...

Parabéns menina, parabéns pelo seu dia!

domingo, 13 de novembro de 2011

Cabelos Brancos



Sabe, uma coisa que percebi desde que cortei o cabelo bem curto foi que tenho um monte de cabelo branco. Na verdade eu comecei a me preocupar sobre esse assunto na época que estava no Ceará, quando na casa do meu tio eu ouvi a minha prima falando que não tinha um único cabelo branco, mesmo ela tendo a mesma idade que eu.

Tudo bem que nos meus longos cabelos, eu encontra um cabelo branco e outro, porém depois que ela comentou a respeito comecei a perceber que eu tinha muito mais do que imaginava. Engraçado que achava que meu amigo amigo Marcone tinha muito, entretanto bastou raspar o meu cabelo para ver que eu não fico atrás.

Engraçado é que nunca pensei que um dia isso poderia me preocupar, entretanto pela foto que ilustra esta postagem, já dá para ver que um dos meus passatempos atuais é tirar os pequenos fios brancos com uma pinça da mesma forma que a minha mãe fazia 20 anos atrás e eu criticava sempre, he, he, he... A vaidade humana não muda com as gerações. Só que vou parar com isso, pois de nada ficar nessa melancolia se todos um dia terão que envelhecer. É melhor aceitar os cabelos brancos agora para depois não ter que fazer isso na marra.

Meu Deus, 30 anos... e parecia tão longe quando era novo. Hoje sinto as coisas passando tudo mais rápido e também um pouco cansado de tudo, até um pouco enjoado das novidades... Hum... Será isso o 1º sintoma de início de uma velhice? Enfim, de qualquer forma vamos ver com quantos anos eu fico com todo o cabelo branco.

Espero que seja bem tarde...

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Finitude da Vida



Dia dos mortos... venho aqui meditar um pouco sobre o tema e como ultimamente este assunto está me afetando. Lembro que no início do ano sobe que um amigo meu perdeu a sua mãe e isso me deixou muito para baixo, pois no mesmo momento me coloquei no seu lugar e pensei:

"Será que suportaria tal perda?"

Já tinha sentido isso quando perdi a minha avó e meu pai ficou muito desesperado, isso foi em 1997. Aquela cena me deixou profundamente triste. E também quando a minha outra avó partiu deste mundo e vi o mesmo desespero nos olhos da minha mãe, que precisou mais de um ano para ela pelo menos sofrer menos. Tantas perdas, tantas partidas... desde o meu tio avô que partiu recentemente, ao meu amigo Alcides que teve sua vida arrancada antes da hora. Perdas que não restringe aos humanos, com por exemplo a minha gatinha Alícia que se em Abril, a sua mãe que sumiu já um mês, mas não tenho mais esperanças que volte. Poderia citar também Knut, Baltazar, Chumbinho entre outros. É muito ruim quando a gente não pode fazer nada para evitar... de nada adianta se lamentar.

Engraçado é que sempre pensei nesse tema, mas não com tanta força como está sendo nesses últimos meses, digo até que estou um pouco apavorado. Sinto que não é como nas outras vezes, que com o tempo a sensação ruim passava e tudo voltava ao normal. É como se a minha consciência tentasse me alertar de adversidades que sempre foram possíveis de acontecer, porém agora a probabilidade de fato é muito grande. Eu sei que isso é um assunto chato e nem gosto de comentar... todavia é melhor está preparado do que ser pego de surpresa.

A morte é assim mesmo: Não faz distinção de etnia, classe social, ideologia ou forma de vida. Todos que estão nesse mundo material terão que passar por ela, mais dia ou menos dia. Entretanto, tem o lado bom de se morrer, já que com ele a vida aparenta ter o valor mais precioso. Fico pensando como seria se tivéssemos uma existência infinita, será que isto seria sinônimo de felicidade? O jeito é aproveitar cada momento da nossa existência como se fosse o último suspiro, para que tenhamos o que se orgulhar quando partir.

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Festival Kanzen


Continuando a minha saga de ir aos eventos para o público jovem que existe em Pernambuco. Não sei se fui em todos, mas pelo menos os que são bem conhecidos eu estou indo.


Este evento eu já tinha ido antes em outra edição (talvez a 1º ou 2ª) e foi por acaso, pois se tratava de um ingresso que um amigo meu tinha, mas não podia ir e ele perguntou se eu queria ir. Como quase tudo de graça é ótimo, eu aceitei no ato. Apesar de bem simples, achei o evento interessante e ótimo para as novas gerações.


Bem... só que deste ano eu fui por conta própria e com o olhar mais crítico. Esta edição foi realizado no Bloco C da Faculdade Maurício de Nassau, no mesmo local do Brasil Anime Clube, que por sinal um dos organizadores é o mesmo do Kanzen. Entretanto, diferente do famigerado evento que citei, esse aqui é mais honesto e atende as expectativas.

Talvez isso aconteceu porque a sua ambição é pequena e o objetivo maior seja apenas reuni jovens com o mesmo gosto e preferências culturais.

Falando nisso, além dos temas já manjados nesses eventos (anime, mangá, games...), desta vez teve também assuntos mais ocidentais como comics e filmes americanos, deixando assim mais multicultural. Aprovei a ideia, pois evita essa "japonização" dos gostos que está acontecendo no Brasil dos últimos anos. Fico feliz que pelo menos em Recife as pessoas aparentemente tem a mente mais aberta e não fica presa a tribos ou rótulos, coisas que eu abomino.

No aspecto geral, foi um evento muito bom que pode e deve ser melhorado. Eu pessoalmente não curti muito porque... sei lá! Acho que não tenho mesmo pique de outros tempos, deve ser a minha idade, mas quem é novo na área com certeza se divertiu bastante. O único problema digno de nota é que o local escolhido não está comportando mais o número de pessoas, chegando em alguns momentos em que a locomoção fica quase impossível de tão lotado que ficou. Pois é, parece que Kanzen está deixando ser um evento pequeno... será?

Hum, só tempo para saber...

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

De Volta ao CAC (outra vez...)



Sabe, estou num momento da vida que nem sei mais o eu quero... tantas decepções, tantos adiamentos, tanto pessimismo. É uma pena que eu não tenha ninguém para desabafar esses problemas (acredite, já tentei isso, mas as pessoas nem deram ouvidos aos pedidos de ajuda... geralmente a maioria só querem saber de você só no "oba, oba"). O jeito é fazer aqui...

Entretanto acho que isso já encheu o saco, pois olhando as minhas postagens anteriores, vi que só faço a mesma coisa de reclamar, de sentir um fracassado, dizer que cansei e que vou mudar... mas não mudo. Então vou parar com essas frescuras e ir para luta. Além do mais, meu maior problema não é ter as minhas virtudes não reconhecidas pelos demais, e sim de esperar isso deles.

Talvez seja o mal de todo ser humano: Querer ser reconhecido... só que quando realmente descobrimos que temos valor e fazermos o que deve ser feito, sem necessidade de elogio ou medo da crítica, é revelado para nós a sabedoria. E é por isso que hoje estou indo ao Centro de Artes e Comunicações para ver como está a minha situação acadêmica: Se tem como ainda salvar esse semestre, se poderei ainda estudar lá ou se definitivamente serei jubilado. Se a minha ausência terá um preço ou não, só saberei chegando lá. De que qualquer forma eu sou o único culpado e não posso adiar mais para saber do resultado.

A vida é muito simples, a gente que complica...

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Ellen e o Sutiã Encardido


Pois é... a participação de Ellen na novela O Astro já acabou e pelo jeito parecia que ficaremos sem ver a sua beleza absoluta por um bom tempo... leve engano! Agora Ela está fazendo parte de uma propaganda de limpeza.



Trata-se de um comercial muito bem bolado e muito engraçado. Fazia tempo que não via um tão divertido e com belas mulheres, vale lembrar (se bem que se tivesse só Ellen Rocche já estava mais que suficiente).

Ellen é uma das suspeitas de um suposto sutiã encardido que apareceu no meio das roupas que uma dona de casa estava prestes a lavar. Não admitindo tamanha falta higiene, ela leva a prova do crime até um estabelecimento onde está seu filho e sua namorada. Cobra dela que lave melhor suas roupas íntimas pois aquela estava encardida.

Para surpresa, a garota diz que o sutiã não é seu e com isso deixa o namorado numa situação embaraçosa. O curioso é que no mesmo local está várias mulheres ouvindo a conversa e a reação de que cada uma tem com o tema é muito bem suspeito, he, he, he... entre elas está a Garçonete, a Chefe de Cozinha, a Mulher Misteriosa, a Nerd e é claro a Ellen Rocche (que é o motivo por está escrevendo esta postagem).

Na minha opinião não deve ser da Deusa Suprema porque Ela é perfeita demais para andar com um trapo daquele e duvido muito que seja a principal suspeita (se bem que no momento estava sem sutiã...)

E aí? Alguém acha que Ellen é a dona do sutiã?

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Jem e as Hologramas



Sabe, esses dias na internet, estava procurando sobre cantoras brasileiras que fazem versões nacionais de músicas de desenhos... e acabo chegando a esta animação. Como fazía tempo que eu não assistia e por tabela não me lembrava de muita coisa, resolvi pesquisar mais.

Aí... caramba!! Eu nem lembrava como o desenho era tão bem feito, fico pensando como seria se essa qualidade visual tivesse continuado até nos dias de hoje. Talvez não teríamos essa invasão exagerada de desenhos japoneses na mente da geração de hoje (irônico eu falar isso, pois Jem tinha dedo japa no meio a mando dos gringos... mas tudo bem). Hoje em dia, tirando algumas exceções, a animação americana está muito decadente e sem identidade, onde muda conforme a moda. E por falar em moda, era nesse clima misturado com rock e fama que este desenho se apresentava com direito a assuntos muito maduros para um coisa feita para crianças, mostrando que não só japonês que consegue fazer esse isso (mas vai dizer isso para um otaku com viseira de jumento).

O desenho conta a história de Jéssica Benton (Jerrica no original), uma jovem que perdeu sua mãe muito nova que agora acaba de perder o seu pai também. Ele deixa para ela um orfanato de meninas e parte de sua gravadora, ambos com o nome de Starlight. Também recebe como herança, uma estranha máquina que faz efeitos hológraficos com muita perfeição, já que o seu pai também era eventor. Jéssica, querendo arranjar dinheiro para ajudar na manutenção do orfanato, vai até a gravadora falar com Eric Raymond, ex-empregado do seu pai e agora sócio da empresa. Para sua surpresa, Eric nega a ajuda e ainda diz que ela não tem competência suficiente para administra-la por ser muito jovem. Revoltada, Jéssica promete que aquilo não vai ficar assim. Usando o evento do seu pai, ela cria Jem: Uma misteriosa cantora de cabelo de rosa que se trata na verdade uma holograma projetada sobre si mesma. E juntos com suas irmãs, formam uma banda que pretende ganhar fãs e arranjar fundos para manter o orfanato Starlight.

A animação foi encomendada pela Hasbro (grande empresa no ramo de brinquedos) para avalancar as vendas de suas bonecas. Entretanto o desenho fez mais sucesso, o que acabou sendo cancelado depois de 3 anos. Na sua exibição original, o desenho passou no canal da MTV e aqui no Brasil passou no SBT, já que ainda não tinha a versão brasileira do canal. Fico pensando se a MTV Brasil poderia reprisar nos dias de hoje... mas como o canal tem frescura com dublagem, é bem capaz de passar o desenho legendado, coisa que eu não quero!


Com o sucesso de Transformers e G.I. Joe (?), é bem provável que a próxima franquia a se tornar filme seja Jem. Hum... se manter a mesma qualidade de roteiro (que acho difícil) é bem capaz de fazer muito sucesso também. É só espera para ver... êita! Acabei não falando de quem canta na versão nacional do desenho.

Mas isso, eu deixo para outra vez.

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Tânia Gaidarji



Hoje é o aniversário de uma dubladora muito legal que conheço a sua voz já algum tempo: Tânia Gaidarji. Por isso resolvi falar um pouco dela nesta postagem que é uma pequena homenagem que faço.

Bem, a 1º dublagem que eu ouvi a sua voz foi em Street Fighter 2 Victory, animação japonesa que é inspirada no game mais famoso da época. Lá ela interpretava Chun Li, uma jovem e doce chinezinha. Lembro da cena de sua estreia, em que os personagens principais da série (Ken e Ryu) comentam da voz da garotinha que será sua guia na China.

Outro personagem marcante e talvez mais famoso deles foi a Bulma de Dragon Ball. Personagem muito inteligente e de espírito forte que foi uma das primeiras a aparecer na trama e que sempre é lembrada em eventos de animes existentes no Brasil.

Ah! É claro, ela também dubla séries, filmes entre outras coisas. Afinal, dubladora é apenas uma das várias funções que ela faz com a voz. Para quem quiser conhecer mais a profissional é só visitar o seu site:


Um fato curioso que descobri é que Tânia gosta de fotografia, principalmente quando os modelos são uns caras bombados fazendo esportes radicais. Se eu tivesse a mesmo azar de tirar fotos de garotas saradonas, talvez entendesse um pouco o prazer que essa tia deve sentir ao fotografar aqueles brucutus, he, he, he...

Parabéns pelo seus 48 anos... tudo de bom!!!

sábado, 8 de outubro de 2011

Karina Bacchi



Hoje faz aniversário uma pessoa muito gata e muito especial. Afinal, que acaba de ganha mais uma velinha é nada mais, nada menos que Karina Bacchi. Engraçado que nem sempre eu chamava ela assim.

A 1ª vez que me lembre de ter visto Karina foi num comercial de bebida, em que ela estava presa numa árvore e foi preciso chamar os bombeiros para salvar-la. O interessante é que logo no início do comercial, não se sabe que trata de uma garota, pois a velhinha que pede ajuda fala que é a "Fifi" que está presa e este nome geralmente é atribuido a animais em especial gatos.

Por muito tempo fiquei sem saber o seu nome e sempre a chamava de Fifi por causa disso. Procurava em várias revistas fotos suas e também em outros comerciais a sua belíssima participação. Só depois de muito tempo que descobri seu nome... agora nem lembro quando foi que isso aconteceu. Deve ter sido em alguma novela...

De formas perfeitas, Karina tem uma beleza acima da média. Ai! Ai! Uma mulher assim é daquelas que geralmente os homens comuns só consegue pegar apenas uma vez... ou nem isso! Vai saber, tem gente que não tem azar mesmo disso se tornar realidade.

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

1 Ano do Meu Sobrinho



Hoje faz 1 ano que meu sobrinho Rafael Leon nasceu. Pois é, achei essa combinação de nomes estranha, mas foi assim mesmo que meu irmão quis. Ele pensou até que eu ficaria ressentido por gostar de uma novela que tinha um personagem com este nome (Leon) e poderia no futuro colocar em algum possível filho meu que eu tivesse.

Ele, junto com sua mãe e a minha sobrinha Eduarda, vieram no meio do ano passou um mês com a vovó, no caso, minha mãe. Foi interessante e teve até reunião de família. para todos poder ver o novo membro da alcatéia, he, he, he... é uma pena que minha avó não chegou a conhecer o seu bisneto, mas aposto que ela está feliz, onde é que esteja.

Engraçado é que ainda não me acostumei com essa de tio, mesmo já sendo a 5 anos. Deve ser pelo fato de ainda está preso ao meu passado e não senti que tenho idade que possuo. Mas não for pensar nisso, já sou melancólico demais em outras postagens para estragar essa aqui, que trata da comemoração de um nascimento, de uma centelha que se inicia, de uma jornada que começa... vamos todos celebrar. Por isso, estou compartilhando com os meus leitores ou apenas visitantes do meu blog essa alegria! Parabéns Rafael, tudo de bom nesse seu 1º ano!!!

Temos que aproveitar cada momento, pois somos crianças apenas uma vez.

O desaparecimento de Flora...



Aproveitando que ontem foi o Dia dos Animais, venho aqui tristemente comentar a respeito de uma gatinha que sumiu e vai deixar saudades: Flora.

Já fazia 3 anos que eu, voltando do meu curso, a encontrei no meu dos lixos recicláveis brincando sozinha. Era tão pequena, cabia na minha mão. Como fazia alguns meses que tinha perdido meus amigos Chumbinho e Baltazar, resolvi ter outro gato, que caso fosse fêmea, nome dela seria Flora... e foi isso aconteceu!

Flora era uma gatinha muito indepedente e de personalidade muito forte. Também tinha um humor muito muito instável, ficando mansa e carinhosa num momento a chata e brava em outro. Também tinha raros momentos que ficava até brincalhona... uma gata única!


Infelizmente, assim como o Knut, a minha gatinha Flora desapareceu misteriosamente... ela já ficou um bom tempo fora, mas não por 2 semana. Não tenho muitas esperanças e a minha "ótima" vizinhança não ajuda muito. Por isso eu agradeço o tempo que vivemos juntos e que nunca esquecerei de você, minha linda gatinha rabugenta... pois ficará eternizada para sempre nos meus vídeos. Ai! Ai! É muito triste quando isso acontece...

Uma saudade ENORME que nunca será apagada!!!

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Procrastinação



Esses últimos dias estava pensando nos rumos que a minha vida tem tomado nesses 2 anos que se passaram. Parece que foi ontem que eu tinha me desfeito de minhas vaidosas tranças para fazer parte de uma performance e que por sinal, fui muito elogiado pelos meus colegas e pelo professor da cadeira em questão. Hoje eu estou sozinho sem rumo e sem muitas perspectivas para o meu futuro... mas como isso aconteceu?

Bem, talvez o motivo seja o meu maior defeito que nunca tentei ficar ciente de verdade que sofria: Deixo as coisas passarem sem interagir.

Lembro certa vez que eu ía participar de um concurso para criar uma história do Sonic, mas acabei não entregando a tempo por sempre adiar o início do meu trabalho. Fiquei muito nervoso e depressivo, pois a ideia de história que eu bolei era muito boa e por causa da falta de iniciativa da minha parte, ela nunca viu a luz. Isso é um problema antigo: Pois já tinha quando era criança, minha adolescência então nem se fala e parece perpetuar na minha vida adulta. É triste saber que muitos grandes sonhos idealizados por mim nunca se realizaram, não porque eram impossíveis e sim por ter me tomado numa inércia sem fim.

Somados a isso, procurei no exterior respostas que só eu poderia responder. Ou seja, em vez de seguir o meu destino, acabei perdendo tempo ouvindo fofocas de mim de terceiros, corri atrás de alguém que só fazia me desprezar e tentava ser reconhecido pelos outros, fracassando miseravelmente.

Então o que sobrou para mim? Culpar a minha formação acadêmica que foi péssima e até hoje não sei como tenho o 2º grau? Lastimar pelo meus irmãos mais velhos que nunca se uniram e que só fazia brigar ao invés de estudar, sem nem interessar em fazer um curso superior? Ou então queixar de nunca ser ouvido pelo outros, sendo apenas taxado de chato, maluco ou tarado? Bem... isso seria o caminho mais prático e cômodo para mim para justificar os meus 30 anos sem ser nada nessa vida. Mas aí, cairia na mesma armadilha que a minha mãe, meus irmãos e acho que mais da metade da população mundial que usa para continuar na mesma coisa.

Na verdade, isso aqui é um desabafo de uma pessoa que perdeu paixões, perdeu oportunidades, perdeu momentos únicos... mas que agora está cansado de tanto ficar parado nos trilhos sem decidi se sai ou não para enfrentar os obstáculos da vida e não deixar ser atropelado pelo trem...

Pois posso ter perdido várias batalhas, mas ainda não perdi a guerra.

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Bienal do Livro de Pernambuco



Ontem de tarde, eu fui para a Bienal Internacional do Livro de Pernambuco, que está na sua 8ª edição (eu participei de 5 delas). Cheguei por volta do meio dia.

Desta vez eu não comprei nada porque estava com muito tostão no bolso (vida de pobre é assim mesmo...) e também, mesmo tivesse, não tinha livro algum que realmente tivesse algum interesse... a não ser uns bem pequenos que desde que fui pela 1ª vez me deu vontade de comprar.

A Bienal pernambucana começou em 1997 e é considerada a 3ª maior em todo nosso país, perdendo apenas para São Paulo e o Rio de Janeiro. Infelizmente, eu não pude nas 3 primeiras edições e só comecei a frequentar na edição de 2003. Para mim foi como um sonho, ficava muito feliz com tanta novidade que passava o dia inteiro nela. Uma pena que nunca dava para comprar muita coisa por livro no Brasil ser muito caro... mas teve uma vez em que eu por ironia do destino encontrei uma nota de 50 reais no chão. Eu fiquei todo feliz, pois naquela época (2005) isso valia muita coisa e porque poderia comprar o livro que queria: Macaco - uma jornada para o o oeste. Este livro conta a história de Sun Wukong, o personagem que inspirou Akira Toriyama a criar Goku, de Dragon Ball.

E por falar em edições anteriores, eu tenho um monte de livros que comprei mas ainda não li... que vergonha! Se existe o método de adquirir conhecimento por osmose, eu já teria me tornado um expect. Talvez a bronca que eu levei do meu pai antes de ir fez algum efeito e acabei não comprando nada, nem um dicionário vagabundo para dizer que comprei alguma coisa. Mas pelo menos eu fiz um vídeo legal, olha aí!


Pois é... quem sabe no próxima Bienal eu tenha dinheiro suficiente para comprar bons livros e com uma quantidade considerada? He, he, he... por enquanto, sonhar ainda é de graça!

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Deyvila



Sabe quando a gente fica em casa sem nada para fazer e resolve assistir qualquer coisa que aparece na tevê? Pois é... era assim que eu estava a mais ou menos 8 anos atrás. Naquela época já fazia um bom tempo que tinha formado no 2º grau e ainda não tinha ingressado no ensino superior. Era um tempo que na programação local passava programas de qualidade duvidosa que tinha ao montes nesse período... e numa dessas vezes acabei me deparando com essa lindinha aí do lado, seu nome é Deyvila Santos. Com suas formas "Ellen Rocche" de ser (corpo violão), não tem como não gamar nela.

Ela era uma das vocalista do Grupo de forró chamado Rabo da Gata (nome bem sugestivo para formas anatomicamente perfeitas que receava muito bem as suas calças jeans). Com este grupo, tenho vários vídeos gravados em VHS apenas por causa de Deyvila, onde via e revia sem parar com ou sem câmera lenta, he, he, he... agora essas gravações devem está todas morfadas, pois o videocassete de casa tá quebrado e nem existe mais no mercado, virou peça de museu ou colecionador. Penso um dia em passar em DVD ou tentar colocar no YouTube, todavia ainda não sei como fazer... vou um procurar um amigo meu que entende disso para tentar me ajudar.

Eu era "fã" do grupo apenas por causa dela... só que com o tempo o grupo deu uma sumida e depois apareceu com outra formação, onde ela não estava. Achei estranho e pesquisei para estava seu paradeiro, isso foi sem sucesso. Até que aparece com outra banda chamada Xamego da Gata onde era vocalista principal. Só que essa também sumiu, não sei se acabou ou se está apenas dando tempo. Hoje ela tem uma academia lá Petrolinha que recebe o seu nome (Deyvila Fitness Club) e só tenho contato dela apenas no ORKUT, onde nos tornamos amigos virtuais (ainda não tive a felicidade de conhecer pessoalmente). Eu ainda estou devendo um desenho que a tempos prometir para ela, hi, hi, hi... vou ver se faço e entrego este ano, espera-se.

Ah... as vezes sinto falta dos tempos do VHS, em que a gente podia gravar muitas coisas para guardar de lembrança. Existe ou já existiu aparelho de DVD que grava, porém nunca achei a venda. Era tão bom que eu tivesse esse recursos tecnológicos nessa época... assim poderia ter ótimos vídeos dessa belezinha agora. De qualquer forma, eu encerro esta postagem desejando um parabéns pelo seu aniversário que é hoje e que tudo de bom aconteça na sua vida. Ah! E quem sabe um dia terei o privilégio de conhecer-la pessoalmente? Tomara...

sábado, 17 de setembro de 2011

Elvira



Estava pesquisando na internet e sem querer acabei de descobrir que hoje é aniversário de Cassandra Peterson (!?), que faz 60 anos. Tá! Beleza... mas alguém pode perguntar: Que é essa tal de Cassandra Peterson? E o que a foto de Elvira está fazendo aí?

Pois bem... Cassandra é Elvira.

Interessante é que durante todos esses anos nunca parei para saber que era de fato a pessoa por detrás da personagem gótica que adora falar sobre assuntos das trevas e sobrenaturais. O curioso saber que na realidade ela é ruiva e não morena, como a sua personagem que lhe fez ficar famosa. Tá! Eu já sei que ela usa peruca e esse comentário que fiz é meio besta... todavia nunca pensei que esta seria a cor do seu real cabelo.

Ah! Como me lembro da 1ª vez que eu vi seu filme. Acho que eu ainda morava na Vila Brigadeiro Ivo Borges. Apesar da pouca idade, minha "tara" por mulheres de seios grandes já existia, porém não estava totalmente manifestada. Os meus olhos só fixava no decote que acaba não lembrando de prestar em todo o resto, he, he, he... quem sabe atualmente eu encontre ele vendendo em DVD.

Caso isso aconteça, com certeza irei comentar sobre ele aqui no meu blog.

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Fernando Batista Vieira



Hoje um cara muito especial está fazendo aniversário. Ele posso dizer com certeza que é meu amigo de fato, pois desde que conhecemos, nunca mudou o seu modo de pensar ao meu respeito e sempre foi muito atencioso com os outros. Eu conheci em 2007, quando tinha acabado de entrar na universidade no curso de Artes Plásticas.

Naquela época tudo era novidade para mim e ainda estava me acostumando com a nova realidade (para dizer a verdade, estou tentando me acostumar com ela até hoje). Em uma das cadeiras do nosso curso, estava ele ainda cabeludo com seu famoso bigode e um violão guardado num estojo (não sei se é esse o nome que dá para aquela capa), parecendo um Mariachi. Lembro que o pessoal que entrou comigo pensava que ele era do curso de música.

Fernando fez Artes Plásticas, entrando 2 anos antes de mim. Ele gosta de filmes e vários temas como quadrinhos americanos, animações entre outros assuntos de meu interesse também. No ínicio deste ano ele se formou na turma que era para eu ter me formado, mas por contratempos como ouvi demais os outros, se preocupar com quem não se preocupa comigo entre outras estupidez... acabei atrasando o meu curso. Agora ele fez vestibular e está cursando Cinema na mesma universidade. Quem sabe eu faça também um dia... entretanto tenho que terminar este curso de artes que eu só faço enrolar... que coisa! He, he, he... bem, enfim... essa foi a homenagem que posso fazer no momento.

Por isso... parabéns amigo, parabéns pelo seu dia!!

Outros Trecos...