A LONGA CAMINHADA (Não Necessariamente Para o Oeste)

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Femismo... Isso existe!?


Tenho que admitir que desde que (infelizmente) comecei a se importar nessas questões sexistas, esse termo apareceu e ainda é novo pra mim. Na real ele é conhecido como o "verdadeiro" oposto ao machismo, visto que as feministas dizem que o feminismo não é. Mas que raio é femismo? Quem o criou e de onde surgiu? Bem, vou tentar nessa postagem explicar ou tentar explicar. Fazendo minhas pesquisas em sites e blogs (tanto feministas quanto machistas) vi que sua origem é imprecisa. O femismo, coitado, tem sua origem tão misteriosa que em alguns casos é considerado que nem exista em ambos os lados. A quem diga que o femismo é uma espécie de bode expiatório, que se usa para quando mostra os erros do feminismo, ou seja, quando não é o "feminismo de verdade". Outros dizem que ele é uma invenção dos machistas para desqualificar a causa feminista e desviar a atenção das mulheres das opressões que elas sofrem.

Amazonas eram mulheres guerreiras que subjugavam os homens... Uma inspiração ao femi(ni)smo?

Na minha opinião acredito que o femismo é a parte radical do feminismo (se levar em consideração que exista um feminismo moderado), aquele que mostra o lado obscuro das mulheres que segue essa ideologia. Seria ele sem máscaras e com teor mais revanchista, ou em outras palavras: virar a mesa de "quem manda". Apesar de nunca admitirem que são, as feministas que tem esse sentimento são as que mais expõem o homem ao ridículo, colocando nas suas costas todo os problemas da humanidade com aquele papo de "patriarcado", "cultura do estrupo" e outros blá, blá, blá.... (se bem que as "feministas de verdade" também falam isso)

Se olhar bem, as femistas lembram muito aquelas mulheres de civilizações que subjugavam os homens. Na história existiu grupos sociais composto de mulheres em que o homem era visto como inimigo e servia apenas para procriação, quando a ditas cujas iam a tribos vizinhas para isso. Nessas relações, os bebês que nasciam com o sexo masculino eram sumariamente mortos ou devolvidos aos homens e as meninas eram criadas pelas mulheres para substitui-las. As mais famosas delas seriam as amazonas da mitologia grega, em que seu nome até virou sinônimo de guerreiros femininos. Tanto isso é verdade que o motivo do estado do Amazonas (ou a própria floresta Amazônica) ter esse nome é porque num passado bem remoto grupos de espanhóis que exploravam aquelas terras foram atacados por uma tribo que curiosamente nela tinha mulheres altas e fortes que transmitiam pavor aos europeus de tanta bravura. E logo foram associadas as guerreiras da Grécia.

Resumindo: todas as femistas são feministas? Sim.
E todas as feministas são femistas? Não, mas tem predisposição de ser.

Eu mesmo conheço uma menina que tinha um "feminismo light", onde lutava pela tal da igualdade dos gêneros e era "cuca fresca", um amor de pessoa. Só que depois que levou um pé na bunda de um cara, mudou drasticamente: criou-se um ódio aos homens e ficou indiferente a questões masculinas tendo nuances de misandria, o que a tornou lésbica. Nada contra as mulheres que se sente atraídas por outra mulher, eu mesmo brinco dizendo que elas tem bom gosto, porque não tem nada melhor que gostar de uma... O problema é se tornar lésbica porque se criou repulsa aos homens, e isso infelizmente é muito visto nas redes sociais em páginas feministas hoje em dia. Se fosse usar a mesma lógica, já tinha virado gay a muito tempo pela quantidade de pé na bunda que já recebi das garotas, ha, ha, ha...

Em suma, femismo é o feminismo na sua real essência.

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Eduardo Campos


Eduardo era minha opção para candidato

Estava a toa na Internet quando ouço pela tevê que um avião tinha caído. E que nele estava o candidato a presidência Eduardo Campos. Fiquei chocado: não bastasse a sequencia de mortes de famosos ou pessoas públicas que 2014 está levando, vem mais essa agora.

Eduardo Campos foi governador de Pernambuco por 2 mandatos seguidos e no último ano saiu para concorrer a presidência da republica onde estava em 3º lugar nas pesquisas. Infelizmente nunca saberemos se ele teria a possibilidade de superar os outros 2 concorrentes principais. Coincidência ou não, Eduardo morreu no mesmo dia (13/08) em que 9 anos atrás seu avô e também político Miguel Arraes falecia. Lembro do velório na época.

A única vez que encontrei com ele pessoalmente foi em 2007 no Derby, na abertura de filme Céu de Sueli na Fundaj (Fundação Joaquim Nabuco). Lembro ele altão passando por mim e colocando a sua mão no meu ombro e rindo. Foi bem inusitado.

Apesar já ter votado nele, nunca fui muito seu fã, mas era a minha opção de candidato este ano. Com a morte de Eduardo espero que Marina Silva se torne a candidata natural do PSB, visto que eu não tenho interesse em voltar em Dilma, muito menos no neto de Tancredo. É uma pena que tenha ido, pois seria uma ótima terceira via que o Brasil poderia ter. Uma de suas últimas frases concordo 100% com ela:

"Não vamos desistir do Brasil"

terça-feira, 5 de agosto de 2014

Ted


Filme muito engraçado... Recomendo!

Ontem de noite assisti este filme sem nenhuma pretensão. Sabia que era bem polêmico e deu o que falar por usar um ursinho de pelúcia... Mas mesmo assim isso não me convencia, pois passei muito tempo antes de querer assistir de fato, no caso ontem. E confesso agora que me arrependo profundamente de não ter assistido antes, já que o filme muito bom e já de início recomendo a todos a que lerem isso aqui.

Só que alguém pode perguntar: "O que ele tem de bom?"

Bem, vou tentar fazer resumo mais ou menos da história e mostrar o porquê de Ted é legal: a história do filme começa logo nos anos 80, quando um menino ganha de presente de Natal um ursinho de pelúcia. Ele fica todo feliz e ao mesmo tempo triste, porque não tinha amigos. Então ele faz um pedido para um estrela cadente que seu urso ganhe vida... e é isso que acontece, pra surpresa do garoto. O tempo passa e ele convive com o urso várias fases de sua vida até chegar a fase adulta, onde realmente começa a história. E o Ted, que é o nome do urso, muda e amadurece junto com o guri... para o bem e para o mal (acho que mais para mal, ha, ha, ha...). Como velhos amigos, o tal ursinho "fofinho" começa a cantar mulher, falar palavrão entre outras bizarrices.

E a história é isso: as confidencias de dois velhos amigos e tudo pode acarretar, mas com um diferencia que um deles é um urso de pelúcia magicamente ganhou vida. O engraçado na época que tava no cinema que teve um político ou promotor (não me lembro bem o que ele era) que foi levar seu filho e tomou um susto com a quantidade de palavrões que película tinha. Queria até Proibir a sua circulação, só porque o desavisado não leu sinopse e também não viu que era para maiores de 16 anos... Coitado! Ha, ha, ha... É pra ri mesmo.

Fiquei sabendo que vai ter o dois, o que deixou muita gente que curtiu o primeiro triste, porque acha que a história deveria parar por aí... Mas eu não, gostei bastante e desta vez no segundo não demorarei para assistir, vou querer ver ainda no cinema, inclusive. Se for ruim, é só deletar da memória, assim que fiz com as sequencias do primeiro Robocop. Mas espera que não, pois gosto do primeiro e quero que o segundo seja melhor.

Outros Trecos...