A LONGA CAMINHADA (Não Necessariamente Para o Oeste)

quarta-feira, 26 de junho de 2013

Minha Mãe é uma Peça - O Filme


Uma comédia que vale a pena assistir

Hoje tarde não tive aula, pois por causa do "grande" acontecimento que é um jogo do Brasil, todo mundo foi liberado... então eu que não tava afim de voltar logo pra casa, resolvi assisti algo no cinema. Pensei em assistir este quando em outro filme eu vi o seu trailer.

E que trailer, depois de ver, não tinha como não assistir, he, he, he...

Em "Minha Mãe é uma Peça" conta-se as peripécia de Dona Hermínia, uma dona de casa que cuida de sua família e problemas do lar de forma singular. A história é baseado nos casos que ator viveu com a própria mãe. Sim, um ator, que interpreta a sua mãe e é isso que dá graça nessa comédia muito gostosa. Os trejeitos são tão perfeitos que as vezes no cinema nem se dava conta que ali é um homem.

O filme é uma versão cinematográfica de uma peça de teatro de mesmo nome (daí a peça do título). Sinceramente falando, nunca tinha ouvido falar dela e muito menos do ator Paulo Gustavo que pelo que vi na película é muito talentoso. E isso me deixa bastante arrependido, pois agora tenho vontade de ver e nem sei se chegou a ser exibida aqui em Pernambuco. Quem sabe com sucesso do filme, Paulo faça uma nova temporada.


Um filme muito bom, de fazer você se mijar de rir (por pouco isso quase acontece, pois estava bebendo um copão de refrigerante). Vou ver se assisto de novo e desta vez eu chamo minha mãe.

quarta-feira, 12 de junho de 2013

Meu Desejo mais Secreto


Aproveitando o dia de hoje (e toda a atmosfera que se é criada) vou contar uma história que aconteceu comigo no ano passado, não tenho certeza da data, mas acho que foi em Setembro.

A embalagem do Sonho de Valsa guardo até hoje

O local era Shopping Tacaruna, não me lembro o motivo de está lá, mas era algo que precisava fazer. Tinha ido no supermercado pra comprar algo para mim, meu dinheiro tava todo contado.

Bem, estava numa boa na fila quando de repente aparece uma garota muito apressada que pediu um favor para mim: que quando fosse a minha hora de passar no caixa, que passa-se junto uma compra dela, que era um queijo (não me lembro que tipo, parecia do reino não sei).  Eu distraído, de bom grado concordei... ela ficou tão surpresa pela minha cordialidade que resolveu me acompanhar na fila. Foi aí que nesse momento o distraído aqui reparou como ela era bonita: uma ruiva mais ou menos da minha altura e muito simpática.

Ela ficou toda sorridente ao meu lado e eu calado na minha. Engraçado que naquela hora bateu um sentimento que nunca passou na cabeça antes: imaginei que eramos um casal e que estávamos juntos fazendo compras. E isso me deixou bastante feliz... um júbilo maravilhoso, de se sentir vivo que a muito tempo não sentia.

Que coisa maluca, não?

Fiquei assim até chegar o momento do caixa, quando na hora ela viu um Sonho de Valsa naqueles doces que estrategicamente fica perto e pegou. Aí depois ela perguntou se o que iria comprar tava com dinheiro todo certo, eu disse que sim, então pegou o meu dinheiro e pagou tudo (as minhas compras e as dela) no cartão. Depois agradeceu deixando o Sonho de Valsa, eu a lembrei e ela disse que era presente. Fiquei meio sem reação, mas com uma sensação boa. Nem perguntei seu nome e nunca mais a vi.

Quando ela foi embora, fique-me a pensar... eu gostei, não dela em si, mas da sensação que a trouxe junto, foi um sentimento muito raro para mim, fiquei pensando com os meus botões e na hora veio um pensamento que nunca passou antes na minha cabeça: de como eu sou sozinho... sério! Eu então com 31 anos tinha reparado como estava velho e ainda não tinha ninguém, nunca tive namorada. Sempre fui uma pessoa introspectiva desde novo, até gosto de ser assim, porém tem horas que isso me frusta. Isso porque sou muito tímido, timidez essa que já chegou de nem conseguir falar com alguém do sexo oposto. Hoje estou melhor, consigo falar com as mulheres numa boa, porém só quando não tem interesse no meio, porque se tiver...

Por isso o contato com essa garota fez eu pensar sobre o assunto, pois revelou um desejo tão secreto até para mim: um lobo solitário que sempre gostou de ser assim só, descobriu que nem ele quer ficar sozinho.

terça-feira, 11 de junho de 2013

Faroeste Caboclo




Hoje de tarde fui assistir este filme que desde que soube que seria lançado prometi que faria. Foi bom, até interessante... mas esperava um pouco mais.

Como é de esperar pelo nome, ela foi inspirada numa música da Legião Urbana, escrita pelo Renato Russo, falecido em 1996. Curioso é que foi nessa época que ouvi falar da banda e principalmente da música, que por sinal foi a 1ª ouvir oficialmente (posso ter ouvido antes sem saber quem era). Um colega de classe falava sempre dela e não sossegava até me mostrar. Até que gostei da música.

O filme segue a história da música (nem sempre) no seus aspectos: João de Santo Cristo ficou sem rumo depois que seus pais morreram. Tentando a sorte, sai do marasmo da fazenda e vai para cidade grande. Lá encontra um parente distante que é estrangeiro, Pablo. Ele ajuda João a arranjar um emprego e se virar por lá como aprendiz de carpinteiro. Só que o trabalho não dava muito dinheiro e Santo Cristo resolveu participar do negócio que seu primo participava. O problema que cada vez que se envolvia, João ficava mais preso, que aconteceu no seu romance com Maria Lúcia. E como é de se esperar, o final não é feliz (quem conhece a música sabe o porquê).

Repetindo o que disse eu esperava mais, entretanto era previsível essa sensação, visto que desde que a música foi criada esta possibilidade de transforma-la em filme, quadrinhos ou qualquer outra mídia já era pensada. Eu mesmo lembro que meus colegas que estudavam comigo ficava pedindo sempre para criar, mas sempre enrolava, he, he, he... nunca fui fã de Legião, apesar de gostar de algumas músicas. Então a expectativa é muito grande. Por isso foi bom, poderia ser melhor? Poderia... mas é melhor do que nada.

sexta-feira, 7 de junho de 2013

Aparências Enganam...


Minha cara de poucos amigos...

...Mas o Preconceito Permanece

Sabe, uma coisa que sempre percebi e que hoje nem me incomoda é que eu não tenho padrão de beleza que a sociedade acha como ideal. Em outras palavras, sou feio mesmo. Tá, não chego a ser aquele bicho horroroso que só de olhar dá náuseas... entretanto sou daquelas pessoas que  passa despercebida na multidão, por ter uma beleza nula.

Isso até gosto, pois não gosto de aparecer, acho legal entrar nos lugares e sair sem ser percebido, tipo um fator ninja. Só que nem sempre isso é visto com bons olhos, principalmente eu que tenho mania de observar as coisas (e sendo feio, se veste mal e com uma barba monstro, só piora).

Lembro bem que por andar desarrumado já me deu problema quando mais novo: logo no inicio do Shopping Guararapes em 1993, teve um segurança que queria me colocar para fora de lá achando que eu era um moleque de rua. Por ser mestiço e ter um péssimo hábito de me arrumar, é muito fácil confundi com uma pessoa negra (etnia essa descriminada ao longo da história brasileira) e taxar logo de um possível delinquente.

Ontem aconteceu de novo: estava num local na minha quando de repente um policial começou a me abordar com a série de perguntas um pouco estranhas, a cada resposta que dava, ele fazia mais como se quisesse me pegar na mentira. Eu fiquei muito pvt0, pois estava lá porque fui convidado e a pessoa em questão não tinha culpa, porém o dono do estabelecimento parece que tava meio desconfiado, talvez pela minha cara feia, boné e barba de mendigo. Fiquei tão mal com a situação que acabei não tendo vontade de sair de casa hoje de manhã, tive que postar sobre o assunto porque essa sensação ruim tava me incomodando.

É triste que ainda nos dias de hoje as pessoa te julgam pela aparência. Depois não sabe porque são roubadas por gentes bonitas brancas bem vestidas que só usam roupa de grife.

Obs: não gosto de comentar a respeito desse papo de etnias, como a pessoa se veste ou algo parecido, pois vejo as pessoas iguais, não tenho essa frescura. Entretanto vivemos num país onde a sua imagem vale muito mais que suas ações, principalmente no Brasil que esse assunto é velado.

Obs 2: quando falo que uma pessoa desarrumada se confundi com uma pessoa negra, não estou dizendo que todo negro anda desarrumado, mas que para uma classe dominante isso são sinônimos.

Outros Trecos...