A LONGA CAMINHADA (Não Necessariamente Para o Oeste)

quinta-feira, 31 de março de 2011

Saskia Howard



Ontem finalmente acabou essa droga do Big Brother, programa muito ruim que a quase 10 anos foi importado para Brasil pela Rede Globo, um canal da televisão brasileira que é totalmente cheia de "credibilidade"...

Esse programa foi criado em 1999 pela um empresa holandesa chamada Endemol, que apesar de existir programas assim a muito tempo, foi a responsável da mania de Realty Shows que proliferou a televisões no final do século XX. E o título "Big Brother" (Grande Irmão em português) do seu produto principal foi baseado num livro de ficção chamado 1984, de George Orwell. Não vou entrar em detalhes do livro pois eu mesmo ainda não li, porém o que posso dizer que o Grande Irmão descrito nele é um autocrata que vigiava todos numa sociedade fictícia. Seria mais ou menos um Bial na vida: Chato para caramba, que falava um monte de asneiras e dizia o que deve ou não ser feitos pelos vigiados.

E nessa "nóia" de uma sociedade vigiadora que foi criado este programa, onde pessoas ditas "anônimas" participam em uma casa confinados, vigiados dia e noite com câmeras espalhada em toda a casa. E que cada semana sai um por um os participantes até que restar o merecedor (ou não) da bolada em dinheiro. Interessante que a ideia parecia até boa no ínicio, mostrando a "realidade" de pessoas comuns e ver como seria seu cotidiano num período em que estivessem presos. Todavia com o tempo começou as edições da tevê (principalmente da tv aberta) a ser manipuladas, onde o que mais se via eram os participantes discutindo um jeito de como derrubar o outro na maioria do tempo... resumindo: Um lixo!


Pelo menos foi graças a esse programa que na sua versão inglesa descobrimos a existência dessa garota deliciosa que ilustra essa postagem que com seus GRANDES atributos, não tinha como não fazer sucesso: Saskia Howard Clarke. Sua participação foi 6ª edição da versão inglesa, que aconteceu em 2005.

Sakia é uma modelo que ficou conhecida como a participante com maiores seios em todas as versões do Big Brother... só não sei se atualmente ainda se mantém o título. É uma pena que depois do programa ela teve a péssima ideia de reduzir as mamas. Sinceramente, mulheres com seios abençoados pela natureza não devia fazer tamanha heresia. Enfim, de qualquer forma já vi fotos suas atuais depois da operação e percebo que continua gostosa, mas não como antes.

O Big Brother para mim continua uma droga de programa que emburrece o público e que não serve absolutamente para nada. É duro reconhecer que já houve um tempo em que até eu via. Só que de uns anos para cá, vendo como funciona o processo, resolvi dá uma chance para minha inteligência e parei de ver este treco.

Entretanto Saskia Howard (sobrenome que dá indicio de ser parente de um grande chefão dos games) com sua participação me deu um bom motivo da existência deste programa ter valido a pena.

Um motivo não... dois!! He, he, he...

segunda-feira, 28 de março de 2011

Um Grande Dia


Sabe... hoje estou querendo que seja um grande dia, um dia bom para a gente refletir na vida e ver como fazer ela ficar melhor. Vejo que nos últimos meses estou muito abusado com família, amigos e comigo mesmo. Então, acho que está na hora de tirar o dia curti a vida, curti o momento, esquecendo das preocupações e obrigações. Só assim eu consiga sentir mais amor próprio e senti que sou amado, já que acredito que pelo menos uma alma caridosa no mundo sinta um pouco de carinho por mim... será?

Talvez... só sei que as vezes a gente reclama tanto que outros não gosta da gente, mas esquece que a pessoa principal que deve gostar da gente é nós mesmo. Pois senão, se não temos o danado do amor próprio, como os outros vão gostar da gente? E por falar nos outros, uma coisa que percebi exatamente nesses últimos 2 anos é que gostei mais de outra pessoa do que a mim mesmo... mas isso eu deixo para falar mais tarde.

O importante eu sair para curtir!! Que eu seja feliz...

domingo, 27 de março de 2011

Armações do Amor



Neste Sábado a noite eu vi um filme na tevê que ironicamente me identifiquei com ele: Armações do Amor. Nele conta a história de um cara com 30 e poucos anos que ainda vive com os pais. Tendo um quarto grande, café da manhã feito todos dias e roupa passada, quem se importaria de permanecer junto com seus progenitores? Pois é... só que não é o que pensa os pais de trintão Tripp, que não vendo a hora de ficarem livre de filho, resolve contratar os serviços de uma linda mulher chamada Paula, especialista em fazer os homens a aprenderem a sair do ninho.

A história do filme em si pouco importa e sim a situação. Pois na minha casa... quero dizer... dos meus pais mora minha irmã, meu irmão mais velho e eu, todos com mais de 18 anos. Desde de mais novo, já tinha decidido que continuaria a morar com os meus pais mesmo depois da maioridade. O problema é que pelo jeito, era a intenção dos meus irmãos também. Só que bem diferente da película, o que realmente nos prende em casa é a minha mãe, que não tem interesse de que sua prole more longe. É só ver como ela ficou quando meu outro irmão saiu de casa, foi um chororô só... talvez ela é um exemplo perfeito de que sofre do mal do "ninho vázio".

Agora eu, que recentemente na casa dos trinta, fico pensando se não era hora de morar com alguém ou mesmo só, pois percebo que enquanto morar no mesmo teto dos meus pais nunca irei evolui para um homem totalmente. Sinceramente começo realmente a pensar nessa possibilidade.

quarta-feira, 23 de março de 2011

Mariana Badini


Menina linda de lindo olhos verdes!! 

Esta aqui conheço já faz um tempo, porém só de Internet. Seu nome é Mariana Badini, uma linda menina de olhos verdes que encontrei certa vez numa dessas comunidades de ORKUT da vida. Gostei muito de seu perfil e me apresentei... Isso já faz mais ou menos 5 anos. Ela mora no Rio Grande do Sul e assim como eu, gosta de fotos e gatos. Uma simpatia em pessoa!!

Mari parece que nunca envelhece, pois por mais nova que fosse, nunca parecia ter a idade que tem. Agora que finalmente chegou a maioridade, ou seja já pode ir para cadeia, he, he, he... Brincadeira! Mas é engraçado, pois na época que a conheci, nem de longe parecia ter apenas 13 anos. É só lembrar dos meus 13 para ver a grande diferença (se eu colocar alguma fotos da época aqui, vai ter gente achando que só tinha 10 naquele tempo, he, he, he...), talvez o fermento de lá seja melhor, sei lá...

Já tivemos boas conversas no MSN e me divirto muito com sua companhia, mesmo que seja virtual. Sempre nos respeitamos e não lembro nunca de entrar em conflito, nem mesmo por gostar de coisas que ela definitivamente detesta como Rebelde, pois nunca me censurou por eu gostar desse besteirol, hi, hi... (também só assistia por causa Anahí mesmo) e sempre dava boas risadas a respeito dessa modinha besta que assolou o país a mais ou menos 5 anos. Acredito que amizade de verdade tem que aprender a respeitar as diferenças e isso, ela faz muito bem. Queria escrever mais coisas ao seu respeito, porém não tenho muita intimidade. De qualquer forma fica aqui registrado o meu carinho e que seja feliz nesse seu grande dia! São os votos do seu distante amigo virtual.

PS: Interessante é saber que assim que ela chega na maioridade, acabo por tabela lembrando como estou velho, graças a nossa diferença de idade. Afinal em 1993 (ano que Mari nasceu) eu já tinha 12 anos...

Meu Deus!? Como já sou ancião... As vezes esqueço disso.

Elizabeth Taylor



Hoje como é de costume nesses últimos dias fico em casa navegando na internet. E num desses momentos sobre desta triste notícia: Que Elizabeth Taylor tinha falecido por insuficiência cardíaca, mal que já possuía por bastante tempo. Sei que não sou a pessoa mais indicada para falar dela, afinal nunca me interessei por sua história... porém ao saber de sua morte, muitas coisas soltas que sabia sobre ela resolvi juntar, como numa espécie de quebra-cabeça.

Uma coisa que soube hoje foi que seu o último trabalho nas telas foi em Os Flintstones e por coincidência foi o único filme que vi dela. Já dublou desenhos animados e era conhecida por seu olhos azuis avioletados (apesar que na imagem ao lado tá mais para verde). Foi uma das atrizes que mais buscava recursos para financiar estudos para luta contra a AIDS e lançou sua própria fundação contra a doença em 1991.

Ela começou a atuar aos 12 anos e ficou conhecida como a última das grandes estrelas na época de ouro do cinema americano, glamour que não existe mais. A quem diga que como atriz não chegava a ser estrela de destaque, em que para muitos sua maior grandeza era mais por causa de sua beleza única. Mesmo fazendo papeis notáveis como Cleópatra, em que ganhou um milhão de dólares para este efeito (se hoje isso vale muito, imagine na época?), Elizabeth era conhecida mais pelos escândalos de sua vida pessoal, como seus vários casamentos que teve ao longo de sua existência.

Todavia uma característica muito peculiar e que era muito explícito, era sua grande amizade com cantor Michael Jackson. Tanto é que ela passou mal quando soube da notícia da morte do astro a 2 anos atrás. Elizabeth conheceu Michael num evento em 1985 contra a discriminação do HIV nos EUA, criando uma amizade duradora e verdadeira como de mãe para filho.Talvez ela foi a única amiga que o Rei do Pop realmente tinha que era sincera, muito mais do que a família e arrisco dizer até de sua própria mãe. Foi a Elizabeth que achou que o velório de Michael parecia um circo a ver o que os familiares do cantor estavam fazendo.

Agora os 2 amigos vão poder se reencontrar no céu...

Eu decidi falar dela porque vendo esta imagem que escolhi no auge de sua juventude e comparando com seus últimos dias aos 79 anos, percebi o quanto é fútil se apegar a esses padrões de beleza externa, pois tudo um dia se vai. Não estou dizendo com isso que a Elizabeth era vaidosa e agora lamentava sua velhice... pode até ser, não sei. O que eu quero dizer é que a gente sempre ouve que a beleza externa é passageira e o que importa é a beleza interior, mas passa geração e mais geração e a humaninade sempre valoriza a forma mais do que o próprio conteúdo. É sempre bom lembrar agora que um dia todos nós seremos velhos e talvez doentes...

Para que não nos lamentamos depois.

terça-feira, 22 de março de 2011

Sexo Sem Compromisso



Ontem de tarde estava perambulando pelo centro da cidade e resolvi ver um filme sem compromisso, esse da imagem ao lado. Nele tinha 2 atores que nunca vi junto antes e achei interessante saber como seria a atuação deles numa mesma película (além de achar o nome muito sugestivo). No filme, conta a história de um casal de amigos Adam e Emma que resolvem ter um pouco de satisfação sexual sem que para isso estejam juntos.

Tudo começa quando Adam, um assistente de filmagens, descobre que sua ex-namorada estava tendo um caso com seu pai, um astro da TV. Querendo esquecer as mágoas, ele começa a beber e liga para todas as mulheres que tem no seu celular para encontrar uma para farrear. De todas, a única que responde o seu chamado é Emma, garota que já cruzou a sua vida em certas ocasiões e que agora é médica. Ele acorda de ressaca na casa dela e num momento quase institivo, os 2 acabam transando.

Vendo o interessante da situação e não querendo ter vinculo algum para não sofrer, Emma propõe a Adam que os 2 se encontrasse mais vezes apenas para um sexo casual, sem apego. Ele não vendo mal, acaba aceitando a proposta. E assim começa um história com um tema muito polêmico e ao mesmo tempo muito atual, com os clichês que essas tipos de comédia sempre tem. Só que achei esse casal nada ver, pois pareciam que estavam em filmes diferentes onde foram depois recortados e colados numa película só. Ela muito sem graça, não empolgando em nada... e ele muito apagado, quase um cartaz móvel. Uma química ruim como dos protagonistas do filme Gente Grande.

Eu vi pouco filmes com Natalie Portman e em todos eles era com um tom de drama. Esse de comédia foi a 1ª vez e... sinceramente, não gostei. Pensei que ía me surpreender, mas só tive a sensação de que ela não leva jeito para coisa. É melhor continuar fazendo filmes como Cisne Negro que ganha mais. Já Ashton Kutcher é a mesma coisa de sempre, a não ser o fato que seus filmes é sempre com uma mulher diferente... e a vítima da vez foi Natalie. Pelo jeito, o único filme que eu gosto dele ainda é Efeito Borboleta, que ironicamente é diferente de tudo que faz.

Enfim, de qualquer forma aprendi a não mais fazer alguma coisa sem compromisso, como ver este filme, pois já bastou o terrível lanche que fiz antes sem compromisso, que por sinal, os funcionários da lanchonete também estavam sem compromisso para me atender direito. Ou seja, nunca faça nada sem compromisso, pois o resultado pode ser sem compromisso de ser sastifatório. Quem sabe em DVD este filme funcione?

Mas isso, só quando sair para saber... sem compromisso, é claro!

terça-feira, 15 de março de 2011

Alexsandra Debora



Pois é... já faz um mês que esta balzaquiana fez aniversário. Nem deu para escrever antes, por isso estou escrevendo agora.

Eu a conheci num pré-vestibular que eu fazía, o Prevupe, local de onde fiz muitos amigos e tenho lembranças muito inesquecíveis. Isso foi em 2005, ano que para mim foi um dos melhores, com a única negativa dele que foi a partida de Urd.

Naquele tempo era uma época muito boa para mim, onde o tempo realmente rendia e sentia uma vontade imensa de viver. O local do curso era numa escola pública muito ventilada e arborizada que dava uma sensação bucolica muito grande... para mim foi a melhor edição do Prevupe que já fiz.

Foi a 1ª vez que comecei a andar com frequência nos ônibus integração do Recife. Pois bem, e foi em uma dessas várias viagens integrações que fiz que certa vez encontrei com a menina da foto. A gente a conversou legal e achei agradável sua companhia. Entretanto, com o tempo comecei a receber altos foras da guria aí, sem motivo algum.

Sei lá, acho que pensou que tava na intenção, he, he, he... hoje só a encontro raramente... e quando isso acontecesse, a nossa conversa só fica naquela de um querendo tirar sarro do outro, que confesso chega ser até engraçado. Confesso que de vez em quando acho Alexsandra meio chatinha e enjoada, porém tirando a pose que faz, sei que ela tem bom coração. Queria falar mais coisas sobre a nossa amizade, mas vejo que ainda não amadureceu o bastante para isso. Quem sabe algum dia a gente não se torna verdadeiramente grandes amigos?

Pois bem... se depender de mim sim.

segunda-feira, 14 de março de 2011

Linha Jardim Piedade



Eu estava devendo falar sobre esse assunto a muito tempo, mas depois do que aconteceu ontem não tem como adiar, pois aquilo foi a gota d'água. Indo para o Centro na cidade, peguei uma viagem de ônibus tão estranha que nem acreditei no que aconteceu no final dela. Mas antes vou falar um pouco mais desta linha.

É a única linha de ônibus que passa perto de casa, onde vai do subúrbio até o centro da cidade do Recife. Tirando essa linha, não tem outra que possa pegar sem me deslocar até a avenida, que dura uns 40 minutos de caminhada. Já faz 17 anos onde moro atualmente e nunca apareceu outra próxima como opção da comunidade, com exerção é claro dos transportes alternartivos, que mesmo agora regulamentados pelo município, não tenho muita confiança neles.

As empresas prometeram melhorar o transporte público assim que suas concorrentes ilegais saisse de circulação. Isso já aconteceu em 2003 e até agora não vi grandes melhorias, a não ser o fato de que elas só fazem aumentar o preço das passagens e agora também ter (ou sempre teve) motoristas ruins como o da viagem de ontem: Ele tava muito estranho, queimava as paradas diretas, deixando os passageiros bastante aborrecidos. E falando em passageiros, tinha tanta gente nesse veículo e com alguns fazendo baderna, que tava parecendo que o carnaval não tinha acabado.

Nessa viagem eu estava na minha, mesmo ouvindo tantas gritarias como o suposto roubo de uma celular e xingamentos ao condutor, não me envolvia e aproveitava o tempo para meditar. Até que de repente, olho para janela e vejo uma moto sendo imprensada pelo ônibus em que estou numa curva. Caramba! A cena depois foi tão chocante que parecia ter saído diretamente de um filme qualquer de Hollywood. O pior de tudo foi ver que o motorista nem parou para prestar assistência e continuou na sua trajetória. Logo assim que desci na minha parada, que estava próxima, fui até o local do acidente para ver se o motociclista e sua carona estavam bem. Tirando alguns arranhões e partes quebradas da moto, não aconteceu nada de grave. Tentei achar alguém para queixar da conduta do motorista, porém não encontrei por seu ser Domingo. Então, seguir com a minha vida e voltei ao caminho que eu vim fazer no centro.

Enfim, eu não gosto da linha Jardim... isso porque é um ônibus muito demorado para aparecer nas paradas e que enrola demais para sair do terminal. Foi por causa dele que perdi o começo dos últimos filmes que vi no cinema (Tá! Reconheço que sou uma macha lenta em matéria de sair de casa, porém se os ônibus saísse logo no horários certos, aí as coisas seriam diferentes...) e agora, depois de ontem, aí que não gosto mesmo...

E da empresa, menos ainda!

sexta-feira, 11 de março de 2011

Big Mama



Hoje é um dia especial, pois é o aniversário da minha mãe. Ela está fazendo 55 anos. É estranho falar da própria progenitora quando inconsciente foi-se criado uma barreira que não se sabe quando teve inicio. Talvez ela começou ganhar alicerce quando vi que a minha mãe desistia dos seus sonhos por causa dos outros para viver uma vida de lamentação.

Não queria que fosse assim, queria que encarasse seus problemas com dignidade e coragem, tendo fé na vida e força de viver. Eu incentivava a voltar a estudar, fazer as coisas que goste, porém nunca tive êxito. Se tivesse apoio dos meus irmãos, talvez algum resultado conseguisse... só que isso é meio que impossível, pois nunca se importaram com ela antes, agora continua na mesma coisa.

Agora ela está doente com problema de obesidade e outras males. Quando vi que tomava jeito com a sua saúde, deixei com a própria sorte... e isso foi um erro! Afinal, como a nutricionista disse para mim certa vez quando foi em internado em 2003, falou que minha mãe não tem a consciência da gravidade do problema e que se iludi achando que nada poderá acontecer no futuro. Sinto que a minha omissão não foi um bom caminho... se bem que ser omissão nunca é uma boa opção, o que faz lamentar profundamente

Nestes últimos meses, estamos vivemos num momento familiar que a tanto tempo não se via, onde tudo parece que está indo bem... porém não sei se este momento chegou um pouco tarde. E boa parte da culpa se deve a mim, pois visionário como sempre fui, poderia ter tomado as atitudes certas no momento que estirpe mais precisava. Ou seja, poderia ter agido mais do que ficar só nas visões. Confesso: Não sou um bom filho, nem sei se mereço seu amor. Todavia acredito que agora estou dando o devido valor que ela tem. Queria saber quando foi que comecei a ser assim tão frio? Pois eu lembro que não era assim, eu tinha sentimentos...

Será que os anos vão passar e eu não voltarei a ser como era antes?

Rango



Ontem fui assistir no cinema uma animação na última sessão, coisa muito difícil de acontecer antigamente, principalmente se for dublado. Fui sem saber se prestava ou não o desenho, pois o máximo de curiosidade que tive antes foi ver um cartaz enorme dessa imagem ao lado que tinha por lá. Só que o mané aqui, como em outras vezes, saiu tarde de casa e perdeu o começo... porém desta vez o estrago foi menor, pois a única coisa que perdi foi como esse atrapalhado apareceu numa estrada deserta no meio do nada.

Ele andava a esmo, procurando algum significado para sua vida medíocre, quando de repente se depara com um tatu todo esmagado no meio da estrada. O camaleão o ajuda e como forma de agradecer, o tatu começa a falar de assuntos estranhos como espírito do oeste e tal... orientando o bicho escamoso na sua jornada sem destino, onde quase vira janta de um falcão e encontra uma réptil chamada Feijão, que dá carona até uma vila estranha com o nome de Poeira. Já lá, descobre que a vila (que parece uma cidade de Velho Oeste) passa por sérios problemas, entre eles a falta d'água.

Tenta se adaptar aos habitantes do local, copiando os seus movimentos, inventando histórias de bravura. Quando é perguntado qual era seu nome, diz que se chama Rango (antes ele não tinha nome algum), que sem querer acaba comprando uma briga com alguns arruaceiros, tendo que duelar. Só que na hora, o duelo não acontecesse por causa da aparição de um falcão, que já o perseguiu antes no deserto e agora apareceu na cidade afugentando a todos, menos o atrapalhado lagarto, que não percebe sua presencia logo. Quando isso acontecesse, começa uma frenética fuga onde quase toda cidade foi destruída, encerrada numa estranha forma em que a ave morre pelo Rango, sem ao menos saber como fez.

Com isso, é visto realmente como um herói e é logo tido por todos de Poeira como a nova esperança que a cidade, principalmente agora que com a morte da ave, um arruaceiro muito perigoso pode voltar. Rango acaba sendo nomeado Xerife da cidade pelo prefeito e não tendo outra alternativa, acaba aceitando o novo cargo, pronto para resolver os problemas da cidade. Assim começa as aventuras desse atrapalhado Camaleão, onde terá encontros com terríveis personagens e no decorrer da história, acaba transformando num herói de verdade.



Achei a animação muito legal e mesmo que no final dormi pouco por causa do horário, achei o maior barato. Principalmente porque o que tinha de bicho feio neste desenho, não tava no gibi, he, he, he... animais feios finalmente teve sua oportunidade. Outra coisa interessante é que a versão original, quem empresta a voz para o personagem principal é Johnny Depp, o mesmo do filme O Turista. Mas aqui no Brasil não tem ninguém em especial, nem o dublador que costuma dublar Depp está dublando o bicho escamoso.

Vale a pena assistir, para ter uma ótimas gargalhadas!

quinta-feira, 10 de março de 2011

Ellen no Carnaval 2011



Uma beldade que faz valer a pena que o carnaval ainda exista é Ellen Rocche. Depois de ser por 11 anos Rainha de Bateria na escola paulista Rosas de Ouro, agora fez sua estreia este ano no Rio na Porto da Pedra.

Apesar de fazer um tremendo sucesso na sua aparição, a escola não venceu e ficou em penúltimo lugar. Tudo bem, não foi desta vez... o que importa que Ellen está fazendo um tremendo sucesso por onde Ela passa e finalmente estão dando o seu devido valor. O que importa que estava com uma fantasia pra lá de linda, toda púrpura com detalhes dourados. E por falar em detalhes, na parte dos seios (ô lugar bom...), A Deusa Suprema colocou fotos Suas, para que desse sorte na sua estreia...

Na Escola Rosas de Ouro, sua fantasia representava Sherazade, a contadora de "Mil e uma Noites". Com plumas amarelas e laranjas junto com uns detalhes dourados, Ellen mostrou de longe porque é a Mulher mais perfeita que existe, mostrando o seu Corpo Supremo para todos ficarem embriagados com tanta formosura. Sinceramente é de dá pena para as rainhas rivais. Também a sua Escola de tantos anos não ganhou, diferente do ano passado, ficando em 8º lugar.

Tenho que confessar que não vi nenhum dos 2 desfiles e o isso me deixa bastante envergonhado. Como um fã mais fervoroso, deixei de apreciar esses 2 momentos únicos. Espero não marcar esta mancada de novo no próximo ano. Rosas de Ouro eu sei que Ela sempre fica. Só espero que na Porto da Pedra Ellen veio para ficar, pois com amuleto desses, com certeza essa escola terão grande chances no ano que vem.

Eu sinceramente não gosto de carnaval (como ninguém já não soubesse...) e isso deve por "n" fatores que já falei em postagens anteriores e não convém falar mais do mesmo. Entretanto se tivesse uma oportunidade com esta festa encontrar a Ellen, não pensaria 2 vezes de ir. Até arriscaria pela 1ª vez na vida ir ao Galo da Madrugada se Ela fosse... pronto! Taí... se por acaso algum dia a Deusa Suprema for para esta festa, eu vou!

Espero que nunca vá, senão terei que cumprir essa promessa...

quarta-feira, 9 de março de 2011

Street Fighter 2 Movie



Faz quinze anos que assisti este longa metragem de animação sem igual. Meu Deus, perece que foi ontem que isso aconteceu.

Ele conta a história de Ryu e os outros personagens do jogo que fez o maior sucesso nos anos 90: Street Fighter 2. A caracterização foi muito fiel e as cenas de lutas foram feitas a parti de dublês reais que lutam de verdade. Não é a toa que elas eram bem estupendas, com uma animação acima da média para época.

Este filme foi lançado em 1994 no Japão e só chegou 2 anos depois, numa Quarta Feira de cinzas. Por causa do carnaval, pensei que não ter quase ninguém (grande engano, naquela época, pensava que eu e alguns gatos pingados era os únicos que não gostava de carnaval). Fomos ver assisti esta película que foi bastante elogiada durante todo esse tempo que não era lançando em terras brasileiras.

O problema é que a versão que chegou aqui era uma editada americana, que tinha várias músicas da lingua inglesa substituindo as originais japonesas. Até hoje não sei como são as músicas da versão nipônica, apesar de as músicas gringas não me incomodarem. Agora uma coisa que realmente incomodou foram as dublagens, nossa, como estavam horríveis!? As vozes era tão feias que pareciam ser dubladas pela mesma pessoa... e pior: Mal dublado. Nem de longe parecia as vozes dos mesmos personagens dn série da tevê Street Fighter 2 Victory. Ainda bem que, quando saiu em VHS, viriam a mancada que fizeram e redublaram com os dubladores da tevê.

O fato curioso é que este filme foi o primeiro e único que inventei de ver de 3 sessões seguidas!? Explico: Antigamente, quando os cinemas era mais simples e não tinha os Multiplexs da vida, as pessoas viam 2 sessões seguidas sem ser incomodadas, mesmo que pagasse 1 ingresso. E isso era um hábito natural, pois poucas pessoas tinha esse costume e na minha roda de amigos, isso era tão natural como se fosse um ritual. Acontece naquele dia, eu e um amigo decidimos passar mais que 2 sessões para assistir este filme. Ele tinha topado, porém no fim da segunda exibição, ele estilou e foi com os demais (Era comum naquele tempo irmos em grupos).

Eu de qualquer jeito fiquei até o final e não voltei atrás com a minha palavra. Só me lembro que depois de sair na 3ª sessão (já era noite), eu sair zonzo, parecia até que tinha bebido uma pinga das brabas, he, he, he... ainda bem que acabei encontrando o meu pai no Shopping e ele me deu uma carona.

Muito nostálgico... fico feliz por todo esse tempo, e agora tenho aqui registrado.

5 Anos da Minha Sobrinha



Minha sobrinha já tem 5 anos de existência neste mundo. Ainda me lembro quando minha mãe me disse que seria titio pela 1ª vez, he, he, he... demorei um pouco aceitar a informação.

Ana Maria Eduarda é menina carinhosa e muito inteligente, capaz de iluminar qualquer um em sua volta. Exemplo perfeito de que as pessoas são espertas desde pequeninhas... e isso me deixa muito receoso por meu irmão não perceber isso.

Eu comprei um livro para que aprenda a melhorar a forma que cuida de sua filhinha. Não sei se vai adiantar muito ou se irá ler, porém pelo menos uma tentativa de que mude o seu modo de agir e tratar os outros.

Ela junto com seu irmão, mãe e pai passaram essas férias de fim de ano por aqui em Pernambuco, ficando até Janeiro. Falava muito, muito, muito... he, he, he... e tinha horas que era de deixar ficar abusado de tanto falar, todavia ela fazía isso de coração, logo todo mundo ficava feliz ao seu lado.

Parabéns, menininha! Que tenha muita saúde, paz e felicidade na sua longa caminhada, que está apenas começando...

Bruna Surfistinha



Antes de mais nada, tenho que dizer que acabei perdendo o ínicio do filme por ter chegado muito em cima na sessão. Na verdade cheguei bem no horário certo, só que a fila do cinema tá enorme... então acabei perdendo 20 minutos, fazer o quê, não é?

Bem... no momento que comecei acompanhar a película, ela já tinha saido de casa e já começou a prostituir. Estava numa casa modesta junto com outras garotas de programas, em que a cafetão era uma mulher!? (Coisa parecida só visto antes no filme Mangal Pandey)

No ínicio estava fazendo o maior sucesso com a clientela do local, fazendo com que entrasse em atrito com outras colegas de profissão. Só que chega em um determinado momento, a treta acaba sendo com a patroa. Expulsa, Bruna resolve arranjar outra forma de entrar em contatos com os seus clientes (nos 2 sentidos que esta frase pode ter).

E é nesse momento, com ajuda de uma pseudo amiga que faz numa dessas noitadas das boates da vida, ela aluga um apertamento muito chique e arranja uma nova forma de arranjar clientes: Pelo um Blog. Aí que começa o auge e logo depois a decadência de Bruna agora com o sobrenome Surfistinha, ganho dos seus antigos clientes no local anterior em que trabalhava. Com desenrolar da história, vem os clichês comuns destes tipo de filmes, lição de moral e por aí vai.

O interessante é que, diferente que eu imaginava, o filme é bom e bem feito, contando a história de Raquel Pacheco (nome verdadeiro de Bruna Surfistinha) de forma bem envolvente, de prender a atenção do espectador. Só não sei está fiel o que foi de fato, pois não li o livro em que o filme foi inspirado. Eu desconhecia totalmente sua história e antes nem me interessava... para dizer a verdade nem tava com intenção de ver este filme, porém não sei porque deu vontade de ver na hora. Sei lá... obra do acaso!



Talvez no futuro eu leia o livro, já que agora me interessei saber um pouco mais de sua a história. Sinceramente, quem ainda tem dúvida se o cinema brasileiro está evoluindo, é só assistir este filme que elas desaparecem.

Bom filme e recomendo.

terça-feira, 8 de março de 2011

Ewa Sonnet



Na vida da gente, sempre vemos muitas coisas pra nos maravilhar como paisagem, filmes, pessoas... mas se tem uma coisa que para mim é auge de maravilha são belas mulheres. E esta aqui é muito especial e também estava devendo de fazer uma postagem sobre a própria no meu blog: Ewa Barbara Sonnet. O seu nome verdadeiro é Beata Kornelia Dąbrowska e ela nasceu em Rybnik, na Polônia.

Desde de jovem, Ewa chamava logo atenção pelos seus atributos que se desenvolveram rapidamente. Ao completar 18 anos, foi descoberta por um olheiro que a convidou a participar de um famoso site polonês de nudelos com comissão de frente avantajadas (aquele mesmo de Jana Defi) e logo conquistou uma legião de fãs, devido ao seu belo rosto e é claro, aquilo que enche o sutiã.

Pra mim, Ewa Sonnet tem uma grande importância, já que junto com Maria Swan e Kerry Marie que eu quebrei o meu paradigma de achar que não existia mulheres com isso tudo 100% naturais. Depois delas, descobri que existem tantas belezuras ao redor do mundo que achava que só existia em meus sonhos... agora só falta encontrar uma para mim, he, he, he... quem sabe algum dia não encontre a própria!? Sonhar é bom...

Ah! Não posso esquecer que ela canta e muito bem. Em 2006, Sonnet resolveu dá um passo no meio artístico como cantora... e até agora já lançou 2 CDs (um na sua língua nativa). Mas sobre isso deixo para comentar em outra ocasião... agora finalizo esta postagem desejando um feliz aniversário, já que hoje é o seu dia.

segunda-feira, 7 de março de 2011

Cisne Negro



Ontem fui ao cinema para aproveitar a promoção que sempre tem em época de carnaval (afinal, para alguma coisa esta festa inútil tinha que servir). Não sou de ir na onda de filmes ganhadores do Oscar e bem recebidos pelos críticos, mas como essa tava ganhando prêmios para caramba antes em outros festivais (em especial a protagonista), resolvi assistir.

O filme conta a história de Nina Sayers, uma bailarina de uma companhia de balé em Nova York. Ela mora com a mãe, bailarina aposentada que incentiva na profissão de sua filha. Nina, como qualquer bailarina que se preze, determinada nos seus treinos, um tanto exaustivos, buscando a perfeição.

Quando o diretor artístico da companhia resolve substituir sua bailarina principal na temporada O Lago dos Cisnes, Nina ver uma possibilidade de crescer profissionalmente. Acontece que existe uma rival, chamada Lily, que também ambiciona o papel e é muito admirada pelo diretor.

Para Thomas, o diretor, Nina é sua 1ª opção por encaixar perfeitamente para o papel do Cisne Branco com sua pureza e encanto. Entretanto sua personalidade é o oposto de Lily, que se encaixa ao papel de Cisne Negro por ser sedutora e livre. E para Rainha dos Cisnes, ele precisa de uma bailarina que seja capaz de interpretar ambas. Por ser muito técnica e rígida, Nina precisa encontar seu Cisne Negro para não perder o papel para sua concorrente, na qual cria uma conflituosa amizade cercada de muitas intrigas. Para isso, ela transcende o lado mais sombrio de sua alma para tentar manifestá-la. O problema é que essa atitude pode levar para um caminho sem volta.

Gostei muito do filme, pois mostrou a pressão que existe na sociedade para que gente seja sempre o melhor. Pressão essa, que as vezes só existe na cabeça de nós mesmos. Gozado isso, pois as vezes sinto que tive esta mesma tensão durante o decorrer da minha existência até aqui e agora fico pensando porque deixei me levar por ela, se poderia ter aproveitado melhor as coisas da vida se não tivesse ocupado o bastante para ser o melhor em tudo. Vou dizer, no final deu até vontade de ter feito balé. Pena que na época eu tinha um preconceito besta imposto pela sociedade... como se a minha virilidade fosse colocada a prova por causa de uma simples dança.

domingo, 6 de março de 2011

Carnaval


Pois é, o ano no instante passou e já estamos aqui de novo nesta festa "cultural". Parece que foi ontem em que estava em casa num Sábado vendo tevê, zapeando em tudo que é canal... e todos só mostrava a mesma coisa: Este galo estúpido!! E pelo jeito, nada mudou... e nunca vai mudar.

O carnaval nem começou e o galo gigante já tá de porre no meio da Ponte Duarte Coelho.
Na última Sexta, a contragosto dos meus pais, estava no centro da cidade passando em alguns lugares comuns meus refletindo como anda a minha vida nos últimos meses. E nessas andanças, deparo-me com este enorme galo não totalmente instalado na Ponte Duarte Coelho. Ah... vendo isso, logo imaginei como seria tão bom que ele ficasse do jeito que tá na foto e não levantasse mais, semi-deitado parecendo um "morto", para assim não encher mais o saco de ninguém. Um pensamento egoísta, eu sei...

Irônico eu dizer isso, pois o meu signo chinês é o galo...

A cidade, como era de se esperar, já estava em clima desta praga mesmo sendo num dia aparentemente útil. Ou seja, por mais que eu queira, não tem como ficar imune a isso, já que o governo investe pesado para ludibriar os coitados com essa folia (sem mencionar que festas monstros dá mais visibilidade do que melhorar a educação ou saneamento básico, por exemplo). Entretanto hoje percebo que estou mais tolerante quanto a isso do que antes, pois de que adianta questionar uma festa inútil se o povo gosta e tá pouco se lixando para correr atrás de seus direitos realmente essenciais. E isso constatei nesta dia, quando das poucas coisas do governo faz de importante, como os direitos humanos, é ignorado 100% pela massa festeira e alcoolizada. No Marco Zero estava sendo realizada uma peça sobre a prostituição infantil e ninguém prestava atenção... é triste isso.

Verdade seja dita, tirando algumas exerções, o carnaval a tempos deixou de ser uma festa da alegria, da celebração ou coisas do tipo. O que se tem agora é apenas uma festa em que objetivo maior é lucrar em cima dos pobres coitados, em que boa parte deles só querem saber de beber, brigar, fornicar com todo mundo, iludindo-se enquanto os reais problemas da nossa sociedade são empurrados com a barriga sempre e sempre... independente de governo e sua ideologia. Mas a população merece ser tratada assim pela autoridades, afinal continuando nessa estúpida mania de farrear o tempo todo e esquecendo da cidadania, acaba sempre levando fumo de quem manda, e nisso a história brasileira tá aí para me confirmar essa tradição. É como certa vez um professor que eu conheci disse: "A massa é burra". E tem toda razão de ser assim, porque para um governo é víavel ter uma população ignorante para melhor ser manipulada...

Bom é tudo. Depois da trilogia "Odeio Carnaval" que fiz: Galo da Madrugada, Marco Zero e Quarta Feira Abençoada, além da postagem sobre o Moleque Mijão do ano passado, já disse tudo que precisava dizer sobre esta festa inútil, principalmente o Galo que um dia na minha inocência pueril achava que fosse legal.

Mas também pudera, depois deste vídeo aqui, não preciso falar mais nada...


No final das contas, acabei virando fã desta jornalista, he, he, he...

sexta-feira, 4 de março de 2011

3º Ano: Crônicas de Um Demônio Bocó


Pois é... já se passaram 3 anos desde que criei isso aqui. O que parecia apenas uma brincadeira começou a ter valor muito grande pra mim e uma paixão que nem sonhava que eu tinha: A de escrever sobre as coisas da minha vida e tudo que é relacionado com ela.

Lembro-me bem logo no inicio quando as pessoas que eu conheço sempre colocava gosto ruim nele, falando que era uma perda de tempo e que não ía levar a nada. Pois é, eles estavam certos... porém a evolução que eu fiz escrevendo nele é bem visível. Hoje fico feliz por ter seguido o que a minha mente quis.


Não digo que estou passando por momentos bons atualmente, porém vejo que hoje eu tenho uma ideia mais clara de que realmente eu sou e de que realmente penso. E isso devo graças a este blog, que deixa escrito as ideias que sempre tive, mas que antes sempre vinha alguém que assoprava, jogando-as para longe.

Assim sigo a vida... sem ser lembrado, sem ser marcado. Entretanto com um blog que é no mínimo, charmoso.

E que se depender de mim ele sempre continuará.

quinta-feira, 3 de março de 2011

NIPPOP


No mês passado aconteceu um evento muito interessante na Livraria Cultura de Recife: NIPPOP.

Este evento foi abertura da inauguração dela e suas atividades em Pernambuco, onde contou com a presença do Cônsul Akira Suzuki e seus representantes do consulado japonês no Recife entre outros. Nele falou sobre o Japão e seus costumes, a cultura e em quadrinhos brasileiros produzidos atualmente que são inspirados nos mangás. Encerrou-se com apresentação de um guitarrista tocando ao vivo trilhas selecionadas de games.

Mas do que se trata isso?

Bem... O NIPPOP é Associação Brasileira de Cultura Pop Japonesa, com sede no estado da Paraíba. Esta associação tem como objetivo realizar eventos, projetos, pesquisas relacionados a vários segmentos da cultura pop japonesa como por exemplo: Anime, Mangá, Games, Tokusatsu, etc.

Uma iniciativa muito válida que acabo lamentando profundamente por ações como essa não se teve antes no meu estado. Talvez muitas coisas legais poderia ter acontecido e o interesse em conhecer o Japão e sua cultura teria se aprofundado ainda mais do que se tem hoje. Foi muito motivante descobrir que o Japão tem profundo interesse em saber quem são as pessoas que consome a sua cultura e o que acham disso a respeito. Deu até esperanças de que um dia ainda possa conhecer a terra do sol nascente...

O que também motivou foi de presenciar a belíssima palestra da minha amiga Bárbara Oliveira, representante do NIPPOP em Pernambuco. Ela falou sobre a moda nipônica e do seus segmentos e diferenças, como a moda japonesa foi influenciada por assuntos externos, mesclando ao seus costumes criando assim uma forma nova tão admirada no resto do mundo. Falou de vários nomes como Kawai, Lolita, Street Fashion, Cosplay entre outros. Também mostrou suas participações em outros eventos e de sua loja recem inaugurada, como mostra nesse trecho que gravei:


Para saber mais, visitem o blog dela: Sweet Store & Nihon Pop.

Enfim, desejo sucesso aos organizadores e se precisar de ajuda é só chamar.

terça-feira, 1 de março de 2011

1º Dia de Março Tenso


Estamos já no 3º mês de 2011. Parece que quanto mais se tenta que o ano passe mais lento, aí que ele passa rápido mesmo. Os planos que fiz no inicio dele parece está indo por ralo, pois nada que planejei estou conseguindo fazer... ô saco. Hoje estava querendo passar o dia inteiro no centro da cidade para refletir na vida, tentar compreender de fato que está passando na minha cabeça, cai na real que já tenho 30 anos e que preciso pensar seriamente no meu futuro, mais incerto do que antes. Todavia por vários imprevistos que estão se arrastando nessas últimas semanas, acabei não fazendo isso.

Fiquei em casa ajudando minha mãe a arrumar a cozinha.

Vendo minha mãe hoje, vejo como ela está muito cansada e doente, deixando com muito receio desta situação. Por isso tendo evitar ao máximo aborrecer-la, mesmo que antes não tenha sido um filho respeitável. Penso nas mazelas que já fiz no passado com muita vergonha e tristeza, sentindo muita angústia apenas de lembrar. Só que acredito que mesmo com todas essas negativas nas minhas costas, ainda é tempo de se redimir e ser uma boa pessoa. Pena que esse abrir de olhos, os meus irmãos ainda não tem, mesmo eu tentando ajudar. As palavras que tento passar para eles se torna vázia, sem sentido... mesmo que me empenhe, não consigo. Eles estão cegos nos seus mesmos pensamentos mesquinhos e não consegue ver além do que apenas querem... muito triste constatar que semelhante aos prisioneiros da Alegoria da Caverna de Platão, eles preferem a ilusão do que a realidade. E como na bastasse as pecuinhas de Janeiro e Fevereiro, este mês já começa tenso logo no 1º dia.

Depois de ontem em que meu irmão mais velho ficou criando caso por causa de um simples pote de requeijão, hoje a bola da vez foi a minha "injustiçada" irmã. Já não bastava o seu desinteresse com a casa e sua família, agora quer mostrar sua desnecessária fúria para seus parentes com ar de arrogância e egoísmo, mesmo que para isso humilhe-os com sua lábia ferina. Isso tudo porque minha mãe pediu para lavar as louças e a geladeira, ela fez esse tremendo barraco... credo! Era preciso aquilo tudo?

Não se manca da bobagem que está fazendo...

E por mais que eu tente mostrar que a vida é muito mais que simples discussões bobas, sempre sou atacado com mesmo dedo podre que acusa os meus erros do passados, como se nunca ficarei livres deles. Ou de possíveis deslizes de conduta, que faria me igualar a todos os demais. Bom... eu tenho certeza que mudei, que não tenho o mesmo pensamento egoísta que já tive, apesar de algumas vezes ele volta para tentar me aborrecer. Entretanto ainda estou engatinhando nisso, mesmo não sendo fácil manter a direção correta, creio estou indo relativamente bem. São essas pecuinhas de sempre que nunca parece ter fim, como mesmo anos passando e passando nessa velocidade tão brutal, o povo fica se prendendo em detalhes como uma árvore e esquecendo de todo resto, que é a floresta. Meus irmãos agem com a minha mãe como se o que fazem ou deixa de fazer são favores, enquanto com minha mãe faz é nada mais que sua obrigação... poxa! Eles não cai na real que já está na hora de mudar???

Pensando bem, já está passando do tempo de isso ter acontecido.

Nisso tudo, acabei descobrindo (de novo!?) que em discussões eu nunca ganho, mesmo nas vezes que estou certo, sempre perco por não ter boa desventura, não tem jeito. E caramba, nem com a minha irmã?!? Sinceramente estou precisando urgentemente fazer um curso de oratória ou eloquência... sei lá! He, he, he... é de rir para não chorar. Pensei que tinha mudado, mas eu continuo a mesma coisa. Acho que é hora de ficar calado, não adianta entrar em contendas familiares...

Bem, é isso!

Outros Trecos...