A LONGA CAMINHADA (Não Necessariamente Para o Oeste)

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Os 10 anos da Revelação Suprema



He, he, he... acharam que eu não iria falar? Para mim seria uma heresia não comentar do MELHOR ensaio de todos os tempos (passado, presente e futuro) com a ÚNICA Mulher que tem a beleza absoluta em todo universo. Resolvi deixa como a última postagem de propósito.

Bem... o que posso me lembrar daquele ano de 2001? Uma coisa curiosa é que foi um ano inútil para mim como está sendo esse aqui e estou praticamente abandonado, onde ninguém sente a minha falta mais uma vez. Poderia lamentar o meu destino para todo o sempre, mas não, pois quem viu este ensaio não pode desisti da vida.

Irônico é que eu, um devoto exemplar da Deusa Suprema, não ter comprado a revista quando saiu nas bancas (isso mesmo, a edição que tenho é de segunda mão). Mas acontece que na época eu tinha me desfeito de várias revistas assim e prometi para mim mesmo que não voltaria mais a comprar. Pois é, promessa furada...

Felizmente eu voltei atrás e 2 anos depois comprei num sebo um exemplar praticamente nova da revista, parecendo ter saído naquele mês. Só assim pude saber o que é REALMENTE uma beleza feminina.

TODAS AS GLÓRIAS A DEUSA SUPREMA ELLEN ROCCHE!!!

domingo, 27 de novembro de 2011

Feira Japonesa do Recife 2011



Hoje foi mais uma dia da Feira Japonesa do Recife, onde este ano foi a sua 15ª edição. Desde que tive conhecimento sobre ela em 2003, sempre estive presente e no próximo ano, caso eu for, será a minha 10ª participação do evento.

Diferente do ano passado, até que a edição de 2011 estava interessante para minha surpresa. Lembrou (um pouco) quando a feira japonesa parecia... uma feira japonesa. Por chegar cedo, conseguir visitar todas as estandes sem muito trabalho. E acho que este é o segredo: Chegar cedo, para poder ver as coisas com calma, em paz e segurança. A não ser que você não queira ver uma feira de verdade e sim uma versão nipônica do "Galo da Madrugada", para isso basta apenas chegar depois do meio dia.

Entretanto, apesar de ir logo no início, aquele horário já tinha um público considerado, principalmente na hora da cerimônia de abertura, onde vários representantes da organização se apresentam e a quebra do barril de saquê. Falando nisso, é notório no vídeo que fiz a falta de respeito que alguns mal educados tem na hora que cônsul está lendo um texto de abertura do evento. E isso já acontece em quase em todas edições... muito desumano desses caras principalmente quando o teor se referia da tragédia que aconteceu no início deste ano. É por causa de uns idiotas assim que a reputação dos brasileiros é tão mal falada, uma vergonha alheia. Na boa, eu sou a favor de tirar a quebra do saquê no próximo ano.


Bem, tirando os detalhes dos mal educados, o evento foi legal como já falei antes. Até a hora que fiquei (2 horas e meia) ele supriu todas as minhas expectativas. Mas eu vou ser sincero: Não estou com o mesmo entusiasmo que já tive em outrora. Talvez pelo menos para mim é hora de começar a conhecer coisas novas e deixar a Feira Japonesa para novas gerações. Entretanto pretendo ir em algumas outras edições antes dessa decisão, pois quem sabe no futuro as coisas mudem... vamos ver no ano que vem, que com certeza eu ainda irei.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

A Bela e a Fera



Este mês esta animação completa 20 anos. Eu pensei que o desenho que tinha sido lançado em 1991 era o da Pequena Sereia, mas me enganei. Engraçado é que NUNCA assisti este desenho na minha vida (nem mesmo quando passou na Globo recentemente, onde só assisti algumas partes).

Talvez isso se deve porque na época eu tinha acabado de ser reprovado (na verdade, um ano depois) e toda vez que lembro deste desenho, lembro deste fatídico ano. Só que acho que passou muito tempo para ter trauma de um desenho que pela lógica, não tem nada haver com o que aconteceu comigo, não é mesmo?

Bem... o interessante que até pouco tempo atrás nunca parei para pesquisar a origem da história, no máximo a única coisa que sabia era um seriado trash dos anos 80 que passava na Globo e que eu erroneamente pensava que a animação da Disney tinha sido baseada (criança é assim mesmo, fazer o quê...), mas hoje sei que trata-se de um conto de fadas francês em que teve várias versões, onde tanto a série da tevê quanto a animação foram inspirados. Se por acaso algum dia encontrar o conto em uma versão traduzida, não deixarei de ler...

Mas enquanto isso não acontece, quem sabe eu compre o DVD especial da Disney dos 20 anos do desenho e finalmente assisto o filme completo... é uma possibilidade.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Cavalo Preso



Ontem de noite estava eu sossegado na internet quando soube pela minha mãe que tinha um cavalo preso na frente na minha casa, quem tinha visto foi minha irmã que tinha chegado da igreja. O coitado caiu num buraco que a prefeitura de Jaboatão dos Guararapes "inteligentemente" fez na rua onde moro para ver se assim resolve o problema dos alagamentos... ou seja... mais um paliativo.

Até agora essa vala não serviu para nada, pois em época de chuva, a rua continua alagada. Só serviu mesmo para criar um fosso em frente nas casas, no maior estilo de castelo medieval. Além também de servi como perigo ambulante, já que além do cavalo, um carro de taxi ficou com suas rodas presas. A cena foi tão grotesca que acabei esquecendo de gravar ou tirar foto na época... entretanto nem precisou esperar muito para ter um caso semelhante, como foi o do cavalo.

Engraçado é nossos governantes: Pede altos impostos, ameaça colocar nossas casas em leilões caso não pagamos, mas ao invés disso, retribui os nossos esforços com micareta fálida que só serve para trazer marginais para perto da gente... é ridículo isso! Eu moro na Rua Nossa Senhora do Loreto a mais de 15 anos e até hoje não apareceu um só político tentando resolver nossos problemas... isso é deprimente!!


Quanto ao cavalinho, a sorte foi que a minha mãe chamou os bombeiros e eles vieram salvar-lo. Eles até demoraram um pouco por 2 motivos: Deve ter pensado que se tratava de um trote (o que infelizmente é bem comum) e porque a minha rua é de difícil acesso (mesmo sendo rua principal) com um monte de buracos e muito mal iluminado. De qualquer forma o que importa no momento que ele está bem.

O problema agora saber quem é o dono dele.

domingo, 20 de novembro de 2011

Aniversário de Aloi



Hoje fui junto com a minha mãe visitar a minha prima Aloi para um reunião familiar de comemoração do seu aniversário. Foi a 1ª vez que fui e achei interessante conhecer lugares novos. Lá teve um almoço muito gostoso e também um encontro familiar que a tempos não tinha, um encontro que fazer com a minha avó a uns 2 anos no Natal, se infelizmente não tivesse falecido.

Falando nisso, começo a perceber que desde de sua morte, percebo que a nossa família está começando a tentar recuperar alguns que ela transmitiu, mas com o passar dos anos tinha se perdido. Tem que se parar de reunir a família apenas em velório, isso é mórbido demais até para alguém alternativo como eu.

Foi muito bom, pois eu vi alegria na minha que não aparecia a muito tempo. Talvez por sempre ficar em casa e quase nunca sair, ela não sente muito ânimo nas coisas. Eu como nesse ano estou praticamente em casa, começo a entender a sua situação... tem gente que começa a dá valor a pequenas coisas realmente importante apenas quando já é tarde, entretanto para mim estou tendo a chance de redimir a tempo.

Bem... quanto a aniversariante, eu nunca fui de ter intimidade com a minha prima que até pouco tempo atrás eu chamava de tia (ela é prima mesmo da minha mãe, eu sou primo de 2º grau), mas acho que isso se deve por causa do meu jeito sério e calado que puxei do meu pai, jeito esse que faz as pessoas se afastarem de mim ou pensar equivocado ao meu respeito. E isso é desde quando era pequeno.



Mas acho ainda a tempo de recuperar laços até então frágeis. É só querer mudar de atitude que as pessoas começam a te ver com outros olhos. Sempre ouvia isso quando mais novo, mas nunca dava créditos... agora eu sei que isso é uma pura verdade. Então é isso: Parabéns Aloi, parabéns pelo seu dia!!

sábado, 19 de novembro de 2011

Dia Mundial da Filosofia



Hoje eu fui para Nova Acrópole, uma escola de filosofia que tem na minha cidade, comemorar o "Dia Mundial da Filosofia". Acho que esta vez é 3ª vez que vou, se não me engano. Lembro de já ter convidado os meus colegas de curso, mas como sempre eles fuleram comigo. Por isso nem faço mais convites ultimamente, pois é melhor ir sozinho do que com pessoas com má vontade dos infernos.

Eu acabei chegando um pouco tarde e acabei perdendo a 1ª palestra, que se tratava de um vídeo. Depois teve uma parada para o café e por fim uma palestra ótima sobre Prometeu. Nela a palestrante falava um pouco do mito desse titã e também a sua relação com os homens.

Prometeu junto com seu irmão Epimeteu foram imcubidos de dá as qualidades para seres vivos. Quando Prometeu foi analisar o trabalho do seu irmão, viu que ele esqueceu do homem. Então, ele roubou o fogo dos céus e deu para a raça humana. Assim que soube, Zeus ficou enfurecido e castigou o Titã a permanecer preso numa rocha e ter seu fígado devorado por uma águia, sendo restaurado no fim do dia para assim ser devorado pela mesma ave na manhã seguinte.

Gostei muito do que ouvi, pois consegui me identificar em todo momento e assim entender a minha situação que estou vivendo. É uma pena que a minha câmera já estava com bateria fraca, já que valia a pena ser registrado. Pelo menos eu pude ouvi e perceber o quanto posso usar o que ela falou no meu cotidiano. Sinceramente valeu pena ter ido. Pena que meus amigos nunca se interessem por essas coisas... trouxas!

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Wilha



Faz tempo que não falo de amiga alguma por aqui. Então, aproveitado mais uma data de aniversário, eu vou falar desta que já conheço há 3 anos. Seu nome é Wilha Roberta, mas também conhecida pelo apelido de "Tuca". Conheci na turma de Piscologia de Educação 6, a mesma que conheci Cintya.

Ela é de Limoeiro, do interior do meu estado e até pouco tempo morava na Casa de Estudante da Universidade para estudar Geografia, mas agora ela já se formou.

Com todo o devido respeito, Wilha me chamou logo a minha atenção pelo seu jeito gostosona de ser (peitão, bundão...), mas como é de costume, esse tipo de meninas só faço admirar e nem chego perto, pois sou muito tímido. Entretanto extrovertida como ela é, sempre conversa comigo toda vez quando me encontra. Hoje somos bons amigos.

Naquele tempo eu era um aluno mais responsável e mais preocupado com os estudos e mesmo com a belezas dessas garotas de Geografia, ainda sim continuava a prestar atenção na aula.

Talvez eu precise um pouco daquele espírito que tinha para deixar me abater como aconteceu nesses últimos semestres. Com amigas como Tuca, isso será mais fácil de acontecer...

Parabéns menina, parabéns pelo seu dia!

domingo, 13 de novembro de 2011

Cabelos Brancos



Sabe, uma coisa que percebi desde que cortei o cabelo bem curto foi que tenho um monte de cabelo branco. Na verdade eu comecei a me preocupar sobre esse assunto na época que estava no Ceará, quando na casa do meu tio eu ouvi a minha prima falando que não tinha um único cabelo branco, mesmo ela tendo a mesma idade que eu.

Tudo bem que nos meus longos cabelos, eu encontra um cabelo branco e outro, porém depois que ela comentou a respeito comecei a perceber que eu tinha muito mais do que imaginava. Engraçado que achava que meu amigo amigo Marcone tinha muito, entretanto bastou raspar o meu cabelo para ver que eu não fico atrás.

Engraçado é que nunca pensei que um dia isso poderia me preocupar, entretanto pela foto que ilustra esta postagem, já dá para ver que um dos meus passatempos atuais é tirar os pequenos fios brancos com uma pinça da mesma forma que a minha mãe fazia 20 anos atrás e eu criticava sempre, he, he, he... A vaidade humana não muda com as gerações. Só que vou parar com isso, pois de nada ficar nessa melancolia se todos um dia terão que envelhecer. É melhor aceitar os cabelos brancos agora para depois não ter que fazer isso na marra.

Meu Deus, 30 anos... e parecia tão longe quando era novo. Hoje sinto as coisas passando tudo mais rápido e também um pouco cansado de tudo, até um pouco enjoado das novidades... Hum... Será isso o 1º sintoma de início de uma velhice? Enfim, de qualquer forma vamos ver com quantos anos eu fico com todo o cabelo branco.

Espero que seja bem tarde...

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Finitude da Vida



Dia dos mortos... venho aqui meditar um pouco sobre o tema e como ultimamente este assunto está me afetando. Lembro que no início do ano sobe que um amigo meu perdeu a sua mãe e isso me deixou muito para baixo, pois no mesmo momento me coloquei no seu lugar e pensei:

"Será que suportaria tal perda?"

Já tinha sentido isso quando perdi a minha avó e meu pai ficou muito desesperado, isso foi em 1997. Aquela cena me deixou profundamente triste. E também quando a minha outra avó partiu deste mundo e vi o mesmo desespero nos olhos da minha mãe, que precisou mais de um ano para ela pelo menos sofrer menos. Tantas perdas, tantas partidas... desde o meu tio avô que partiu recentemente, ao meu amigo Alcides que teve sua vida arrancada antes da hora. Perdas que não restringe aos humanos, com por exemplo a minha gatinha Alícia que se em Abril, a sua mãe que sumiu já um mês, mas não tenho mais esperanças que volte. Poderia citar também Knut, Baltazar, Chumbinho entre outros. É muito ruim quando a gente não pode fazer nada para evitar... de nada adianta se lamentar.

Engraçado é que sempre pensei nesse tema, mas não com tanta força como está sendo nesses últimos meses, digo até que estou um pouco apavorado. Sinto que não é como nas outras vezes, que com o tempo a sensação ruim passava e tudo voltava ao normal. É como se a minha consciência tentasse me alertar de adversidades que sempre foram possíveis de acontecer, porém agora a probabilidade de fato é muito grande. Eu sei que isso é um assunto chato e nem gosto de comentar... todavia é melhor está preparado do que ser pego de surpresa.

A morte é assim mesmo: Não faz distinção de etnia, classe social, ideologia ou forma de vida. Todos que estão nesse mundo material terão que passar por ela, mais dia ou menos dia. Entretanto, tem o lado bom de se morrer, já que com ele a vida aparenta ter o valor mais precioso. Fico pensando como seria se tivéssemos uma existência infinita, será que isto seria sinônimo de felicidade? O jeito é aproveitar cada momento da nossa existência como se fosse o último suspiro, para que tenhamos o que se orgulhar quando partir.

Outros Trecos...