A LONGA CAMINHADA (Não Necessariamente Para o Oeste)

terça-feira, 1 de março de 2011

1º Dia de Março Tenso


Estamos já no 3º mês de 2011. Parece que quanto mais se tenta que o ano passe mais lento, aí que ele passa rápido mesmo. Os planos que fiz no inicio dele parece está indo por ralo, pois nada que planejei estou conseguindo fazer... ô saco. Hoje estava querendo passar o dia inteiro no centro da cidade para refletir na vida, tentar compreender de fato que está passando na minha cabeça, cai na real que já tenho 30 anos e que preciso pensar seriamente no meu futuro, mais incerto do que antes. Todavia por vários imprevistos que estão se arrastando nessas últimas semanas, acabei não fazendo isso.

Fiquei em casa ajudando minha mãe a arrumar a cozinha.

Vendo minha mãe hoje, vejo como ela está muito cansada e doente, deixando com muito receio desta situação. Por isso tendo evitar ao máximo aborrecer-la, mesmo que antes não tenha sido um filho respeitável. Penso nas mazelas que já fiz no passado com muita vergonha e tristeza, sentindo muita angústia apenas de lembrar. Só que acredito que mesmo com todas essas negativas nas minhas costas, ainda é tempo de se redimir e ser uma boa pessoa. Pena que esse abrir de olhos, os meus irmãos ainda não tem, mesmo eu tentando ajudar. As palavras que tento passar para eles se torna vázia, sem sentido... mesmo que me empenhe, não consigo. Eles estão cegos nos seus mesmos pensamentos mesquinhos e não consegue ver além do que apenas querem... muito triste constatar que semelhante aos prisioneiros da Alegoria da Caverna de Platão, eles preferem a ilusão do que a realidade. E como na bastasse as pecuinhas de Janeiro e Fevereiro, este mês já começa tenso logo no 1º dia.

Depois de ontem em que meu irmão mais velho ficou criando caso por causa de um simples pote de requeijão, hoje a bola da vez foi a minha "injustiçada" irmã. Já não bastava o seu desinteresse com a casa e sua família, agora quer mostrar sua desnecessária fúria para seus parentes com ar de arrogância e egoísmo, mesmo que para isso humilhe-os com sua lábia ferina. Isso tudo porque minha mãe pediu para lavar as louças e a geladeira, ela fez esse tremendo barraco... credo! Era preciso aquilo tudo?

Não se manca da bobagem que está fazendo...

E por mais que eu tente mostrar que a vida é muito mais que simples discussões bobas, sempre sou atacado com mesmo dedo podre que acusa os meus erros do passados, como se nunca ficarei livres deles. Ou de possíveis deslizes de conduta, que faria me igualar a todos os demais. Bom... eu tenho certeza que mudei, que não tenho o mesmo pensamento egoísta que já tive, apesar de algumas vezes ele volta para tentar me aborrecer. Entretanto ainda estou engatinhando nisso, mesmo não sendo fácil manter a direção correta, creio estou indo relativamente bem. São essas pecuinhas de sempre que nunca parece ter fim, como mesmo anos passando e passando nessa velocidade tão brutal, o povo fica se prendendo em detalhes como uma árvore e esquecendo de todo resto, que é a floresta. Meus irmãos agem com a minha mãe como se o que fazem ou deixa de fazer são favores, enquanto com minha mãe faz é nada mais que sua obrigação... poxa! Eles não cai na real que já está na hora de mudar???

Pensando bem, já está passando do tempo de isso ter acontecido.

Nisso tudo, acabei descobrindo (de novo!?) que em discussões eu nunca ganho, mesmo nas vezes que estou certo, sempre perco por não ter boa desventura, não tem jeito. E caramba, nem com a minha irmã?!? Sinceramente estou precisando urgentemente fazer um curso de oratória ou eloquência... sei lá! He, he, he... é de rir para não chorar. Pensei que tinha mudado, mas eu continuo a mesma coisa. Acho que é hora de ficar calado, não adianta entrar em contendas familiares...

Bem, é isso!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Hei! Cuidado com que você vai comentar...
Posso também vomitar na sua cara, infeliz!!!

Outros Trecos...