A LONGA CAMINHADA (Não Necessariamente Para o Oeste)

domingo, 27 de março de 2011

Armações do Amor



Neste Sábado a noite eu vi um filme na tevê que ironicamente me identifiquei com ele: Armações do Amor. Nele conta a história de um cara com 30 e poucos anos que ainda vive com os pais. Tendo um quarto grande, café da manhã feito todos dias e roupa passada, quem se importaria de permanecer junto com seus progenitores? Pois é... só que não é o que pensa os pais de trintão Tripp, que não vendo a hora de ficarem livre de filho, resolve contratar os serviços de uma linda mulher chamada Paula, especialista em fazer os homens a aprenderem a sair do ninho.

A história do filme em si pouco importa e sim a situação. Pois na minha casa... quero dizer... dos meus pais mora minha irmã, meu irmão mais velho e eu, todos com mais de 18 anos. Desde de mais novo, já tinha decidido que continuaria a morar com os meus pais mesmo depois da maioridade. O problema é que pelo jeito, era a intenção dos meus irmãos também. Só que bem diferente da película, o que realmente nos prende em casa é a minha mãe, que não tem interesse de que sua prole more longe. É só ver como ela ficou quando meu outro irmão saiu de casa, foi um chororô só... talvez ela é um exemplo perfeito de que sofre do mal do "ninho vázio".

Agora eu, que recentemente na casa dos trinta, fico pensando se não era hora de morar com alguém ou mesmo só, pois percebo que enquanto morar no mesmo teto dos meus pais nunca irei evolui para um homem totalmente. Sinceramente começo realmente a pensar nessa possibilidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Hei! Cuidado com que você vai comentar...
Posso também vomitar na sua cara, infeliz!!!

Outros Trecos...