A LONGA CAMINHADA (Não Necessariamente Para o Oeste)

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

10 Anos sem o Meu Avô



Pois é... nem parece, mas já faz 10 dez anos que avó materno, chamado Ailton Pierre de Souza, partiu desse mundo. Na época eu só tinha 20 aninhos e nem sabia nada vida (e que pelo jeito continuo não sabendo). Lembro que naquele momento eu estava sem rumo e por isso estava buscando as minhas raízes, pois tinha "me formado" no 2º grau e não sabia o que fazer com aquela relativa escolaridade.

Até meados do ano 2000, meu avô morava numa casa que o lugar hoje é a estação de Porta Larga. Ele teve que sair e processo de indenização foi desgastoso, felizmente tudo correu bem. Meu avô ficou morando agora perto da minha casa. Só assim, tive mais contato com aquele que, mesmos com os laços de sangue, era como um estranho para mim. Achei que teria como recuperar o tempo perdido, mas infelizmente um ano depois ele faleceu.

Antes não tinha aproximação, talvez por causa de certos mal resolvidos entre ele e minha avó ou porque não fui estimulado a ter esses sentimentos. Hoje me arrependo por dá muito atenção a coisas fúteis do que em assuntos que valem muito mais. De qualquer forma os raros momentos que passei com ele nos seu último ano de vida, valeu a pena.

Penso que por pensamentos egoístas de mim e dos outros membros da minha família, muitos momentos legais poderia ter sido vividos e não vivemos... e um deles era passar mais tempo com o meu avô.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Hei! Cuidado com que você vai comentar...
Posso também vomitar na sua cara, infeliz!!!

Outros Trecos...