A LONGA CAMINHADA (Não Necessariamente Para o Oeste)

segunda-feira, 20 de junho de 2011

40 anos de Chaves



Falar deste seriado é como falar a minha história de vida, pois desde que me conheço por gente é que não canso assisti seus episódios, mesmo sabendo de cor todas as falas, he, he, he... acho que isso não acontece só comigo.

Neste mesmo dia, a exatos 40 anos, estreava no México uma série que entraria na história em todo mundo, principalmente a America Latina: Chavo del Ocho. Nele conta a história de menino abandonado que vive em um barril numa vila qualquer, onde contracena com os moradores que são os outros personagens da série. Este programa foi criado por Roberto Gómez Bolaños, que anteriormente era exibido como quadro do Programa Chespirito, outra atração do mesmo autor. Com um relativo sucesso, um ano depois ganha um programa semanal de meia hora, que durou até 1980, quando foi cancelado. Entretanto, até 1992, ele voltou a fazer parte do Programa Chespirito que ainda era apresentado.

No Brasil, a forma que chegou foi meio por acaso. Nosso amigo Sílvio Santos tinha acabado de adquirir a concessão de uma tevê pelo governo e resolveu encontrar programas interessantes para incluir na grade de novo canal TVS ( o atual SBT) que fosse baratos, pois não tinha muito recurso na época. Uma solução foi fazer uma parceria com o canal mexicano Televisa, que importava seus produtos como telenovelas, séries e filmes, o que deixava o custo mais barato e retorno garantido.

E entre esses enlatados "la cucaracha", estava meio que de brinde os episódios da atração de Bolaños. Os executivos do canal brasileiro não vinha com bons olhos essa atração, entretanto o homem do Baú resolveu arriscar colocando como teste dentro de uma programa infantil da época. Lembro como se fosse hoje, pois como os meus amigos sabem, eu tenho uma memória ótima, he, he, he... pois bem: Na minha 1ª visão, achava que a vila era na verdade uma casa e que todos os moradores fazia parte da mesma família. Também achava que Seu Madrugada era casado com Dona Florinda (?!?) e que era na verdade um casal em crise. Só depois de algum tempo é que percebi o jeito certo do programa.


E para surpresa de todos. o que aparentava ser apenas um blinde "tapa buraco" da programação, acabou se tornando um dos maiores sucessos no canal do peru que fala. E com esse sucesso muitas críticas dos pseudointelectuais a respeito do conteúdo, cogitando ser até de péssimo gosto ou de qualidade inferior. Entretanto isso não afetou em nada a popularidade do programa, tendo vista como "cult" para maioria dos telespectadores.

Chavo del Ocho sempre foi uma pedra no sapato para os outros canais, em especial a Globo. Não era estranho se o programa fosse exibido nos mais diferentes horários como por exemplo de madrugada ou até em horário nobre, ou seja, era como uma espécie de "arma secreta" do Sílvio Santos. Por causa disso, lembro que correu um boato em 1991 que um dos motivos do canal global ter a ressuscitado A Escolinha do Professor Raimundo, foi para bater de frente com a atração mexicana. Também teve outro em que ela tentou comprar os direitos de Chaves com a Televisa, mas sem sucesso.

E por falar em sucesso, não era de se imaginar que isso faria ocorrer brigas entre os atores, de direitos atorais e por aí vai. Existem polêmicas que foram tão grandes de que até hoje são mal resolvidas. Mas esse impasse deixamos que eles resolvam, pois o motivo maior desta postagem é para comemorar os 40 anos do grande programa Chaves. Parabéns a Roberto Bolaños, os atores, dubladores (no caso do Brasil) e aos fãs... que esse sucesso continue por mais 40 anos!!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Hei! Cuidado com que você vai comentar...
Posso também vomitar na sua cara, infeliz!!!

Outros Trecos...