A LONGA CAMINHADA (Não Necessariamente Para o Oeste)

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Incêndios



Outro filme de arte, só que este aqui eu fui ver por acaso, pois estava andando perambulando no centro da cidade quando resolvi ir para o Cine Teatro Apolo, onde esta película estava em cartaz. E vou dizer que este por acaso valeu a pena, pois o filme é muito bom... recomendo, mas só para aqueles que aguentam emoções fortes, pois o filme é pesado.

Nele conta a história de um casal de gêmeos que depois do falecimento de sua mãe, recebe a notícia no testamento dela que eles tem um irmão e que seu pai ainda está vivo. Na carta, ela pede para eles encontrarem os dois e entregar 2 envelopes, um para cada. O rapaz reluta atender o pedido da mãe, mas a filha segue em frente e vai em busca dos parentes no país de origem de sua mãe.

No decorrer do filme vemos paralelamente a essa busca, a história de sua mãe sendo contada aos poucos, onde descobrimos o porquê dela ter sido tão frias com seus filhos e o que levou ela a morar num país tão longe de sua terra natal. Quem reclama da vida e questiona das infelicidades que o destino lhe prega, depois de ver esta película, com certeza deve mudar de opinião e começa a ver a vida com outros olhos.

Este filme é uma daquelas pérolas que de vez ou outra, aparece em nossas vidas.


Fazía tempo que não ía no Apolo... e quando vou, sou presentado com esta bela obra de arte. Eu digo: Da mesma forma que li certa vez numa crítica feita para Old Boy, quem ver o final deste filme e não se chocar, podem chamar o padre porque já está morto!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Hei! Cuidado com que você vai comentar...
Posso também vomitar na sua cara, infeliz!!!

Outros Trecos...