A LONGA CAMINHADA (Não Necessariamente Para o Oeste)

domingo, 27 de abril de 2008

Nossas derrotas



Mais um dia do seminário de ArteCiência 2008... E ontem também foi legal, pois teve uma palestra super boa, além de uma ótima boca livre, he, he... E com hoje não foi diferente. Só que fiquei triste por ter chegado muito tarde para a oficina, que teve pela manhã... Que lástima! Mas pelo menos vi a palestra com o tal cara que ia fazer a oficina (desculpe, mas não lembro do nome dele...) e muito que iria ouvi lá acabei ouvindo na palestra. Depois teve a palestra com Ana Mae Barbosa: essa da foto ao lado.

Engraçado, nem sabia que aquela senhora gorda papilteira da plateia que disputava comigo a comida (brincadeirinha!) era a "famigerada" pessoa em questão. Bom, finalmente vi com os meus próprios olhos o que meu professor de artes (Sebastião Pedrosa) sempre fala: que ela é uma autoridade quando o assunto é arte e... não que é mesmo!? Ana Mae falou das deficiências da arte no Brasil e a forma que se pode aprender ciência através dela. Porém, o que mais impressionou foi quando ela comentou que o nosso currículo deveria ter registrados os nossos projetos que não foram realizados, pois são neles que mostra o quanto a gente tenta na vida.

Realmente, são as nossas derrotas que nos fazem mais forte e não as vitórias. Se eu tivesse pensando nisso quando reprovei a 5° série em 1992, muitos dos meus traumas eu teria evitado. Errar, reprovar, começar tudo de novo... Isso não é pecado! O problema é quando a gente se lamenta por eles e isso infelizmente fiz muitas e muitas vezes. Mas tai: Ana Mae falou uma coisa que a parti de hoje guardarei por toda vida...

Ops! Agora com licença que já está na hora da outra boca livre, he, he..

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Hei! Cuidado com que você vai comentar...
Posso também vomitar na sua cara, infeliz!!!

Outros Trecos...