A LONGA CAMINHADA (Não Necessariamente Para o Oeste)

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Xanadu



Mês passado este filme fez 31 anos. Como não tive tempo, acabei de ter que comemorar esta data no mês seguinte.

Não sou muito fã de filmes musicais (para dizer a verdade nem gosto), entretanto com este aqui eu abro uma exerção pois suas músicas são perfeitas e nostálgicas, mesmo não sendo nem nascido quando foi feito e depois exibido nos cinemas, eu canso das vezes que ficar feliz toda vez que passava na tardes dos anos 80, o filme na televisão.

O filme conta a história do artista gráfico Sonny Malone que precisa escolher entre lutar pelo seus sonhos ou prestar serviços a terceiros para poder sobreviver. Sua vida parecia sem graça até que recebe ajuda de uma estranha e bela moça que o incentiva a correr atrás de seus sonhos. E isso fica mais viável quando ele conhece Danny McGuire, um empresário aposentado que sente saudades de seu tempo como músico em grandes bandas dos anos 40.

Este empresário que, por ironia do destino foi forçado abandonar a sua carreira artística, viu no talento e na inquietação de Sonny, a possibilidade de abrir um bar semelhante ao um que já teve em outrora.


O que os 2 não suspeitam é que a bela garota se chama Kira (será que a personagem de Renata Sayuri foi inspirada nesse filme?) e é uma das Musas, filhas de Zeus que tem como função inspirar os artistas. E foi com esse objetivo que se fez aparecer para Sonny. Só no desenrolar da história, ela acaba se apaixonando pelo artista e com isso pode atrapalhar a sua missão...

Pois é, a história soa um pouco bobinha, mas pra mim sempre gostei, talvez pelo fato de gostar de mitologia, principalmente grega.

Em 2007 finalmente comprei o filme em DVD e não canso de assiti-lo, principalmente eu saber o personagem é uma artista como eu... bem que poderia parecer uma Deusa para auxiliar também, não é mesmo? He, he, he... acho que Kosuke Fujishima se inspirou neste filme para criar a personagem Belldandy do mangá Ah! My Goddess. Tá... eu estou especulando... mas não deixa de ser interessante esse meu pensamento.

(Eu e a minha tara por Deusas...)

Mas voltando ao assunto do DVD, a única coisa que meu deixou decepcionado (em parte) foi de que não tem a opção dublada. Só que por um lado achei até bom, pois assim não tem uma redublagem péssima que com certeza iriam fazer. De qualquer forma eu baixei na internet ontem uma cópia na exibida na tevê... a imagem não está essas coisas, mas vale pelo valor nostálgico. Gosto muito deste filme porque faz eu ter esperança nos sonhos que temos, que muita vezes são colocados pelos outros como irrealizáveis.

2 comentários:

  1. Engraçado é que tenho a sensação de que deixei passar alguma observação importante... talvez no futuro eu faça outra postagem com maiores detalhes.

    ResponderExcluir
  2. Vi Xanadu no DVD, mas ouvindo a versão dublada que tenho no computador. Foi bem legal!

    ResponderExcluir

Hei! Cuidado com que você vai comentar...
Posso também vomitar na sua cara, infeliz!!!

Outros Trecos...