A LONGA CAMINHADA (Não Necessariamente Para o Oeste)

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

John Lennon: 30 Anos no Outro Mundo



Hoje faz 30 anos que este cantor e compositor foi forçado a abandonar seu corpo. O responsável por isso ironicamente foi atribuido por um fã seu chamado Mark David Chapman.

Isso aconteceu porque segundo o próprio assassino diz foi de querer ficar famoso e também porque não admitia o que o próprio Lennon comentou certa vez sobre a sua popularidade e dos Beatles (banda que fez parte) ser maior que a de Jesus Cristo. E como cristão não admitia tamanha heresia dita mesmo para alguém a quem ele tinha tamanha admiração. Foi preso e não demonstrou reação alguma quando a polícia chegou. Foi colocado em cela separada por receio das várias ameaças que recebeu dos outros presos fãs do ex-Beatle.

Cumpre pena de prisão perpértua desde 1980 e mesmo que depois de cumprir 20 anos ter a possibilidade a cada 2 anos de ter liberdade condicional, Chapman recusa esse benefício. Mas se um dia isso acontecer, o próprio assassino está correndo risco, pois muitos dos seguidores de Lennon já prometeram acabar com sua vida no momento que ele sair da cadeia, mostrando que filosofia de paz pregada pelo seu ídolo não tem valor algum.

Agora vou dizer... a morte de John foi causada por (pasmen!) ele mesmo. Ao criar essa atmosfera de ser especial, que tem o dom de mudar o mundo, mesmo que para isso fale blasfêmias, fazem que reações como de Chapman aconteça. E isso é um mal que muitos artistas da atualidade ainda tem. As vezes é tanta idolatria que eles esquecem que são humanos e tão frageis como os outros. John era homem bastante inseguro e sua genialidade é apenas porque fez coisas na música em que outros ainda não fizeram. Dá para notar em entrevistas e imagens antigas que ele na vida pessoal sofria complexo de inferioridade e era totalmente dependente de Yoko Ono, a ponto de colocar o sobrenome da esposa no seu. Podem até me chamar de machista, mas que ele fez não tem nada ver com gesto de amor, e sim sensação de dependência.

Agora, a japinha fica ganhando em cima de sua morte.

Não tenho nada contra o artista, que realmente junto com seu antigo grupo fez músicas realmente boas... só que não admito essa imposição que muitos de seus fãs tem a respeito de quem não gosta, como se fosse uma espécie de dogma a ser seguido e quem não faz, é um completo nada ou tem problemas. Outra ironia de Lennon: Combateu a vida inteira contra intolerância religiosa, acabou criando fãs intolerantes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Hei! Cuidado com que você vai comentar...
Posso também vomitar na sua cara, infeliz!!!

Outros Trecos...