A LONGA CAMINHADA (Não Necessariamente Para o Oeste)

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Amor


Depois de um bom tempo, volto a postar sobre filmes... e este aqui era para ter postado a muito tempo, mas  por problemas pessoais já mencionados em outras postagens, só tive oportunidade de fazer isso agora. Vou aproveitar o momento que ele ganhou o Oscar de melhor filme estrangeiro para comentar.

Filmes de artes você tem que vê pelo menos 2 vezes antes de tirar qualquer conclusão 
Este filme resolvi ver por acaso, estava na Fundaj (Fundação Joaquim Nabuco) e decidi assistir o que estava sendo exibido no cinema que tem lá. E um deles era Amor, um filme com uma história bem comum, que não se ver muito nas telas. Beleza, fui lá, comprei o ingresso e... dormir. Não sei como mas não conseguia me manter com olhos abertos, mesmo eu acostumado a filmes assim, não conseguir. Sem entender nada, fui embora para casa.  Aí, em outra ocasião, resolvi dá mais uma chance para película e  decidi assistir de novo... e desta vez, escolhi uma sessão mais cedo para não ter o perigo de pegar no sono mais uma vez.

Dito e feito: diferente da 1ª vez que achei chato e sonolento, percebi a beleza que existe na história. As pessoas apenas focaliza o lado sexual ou o físico e acha que é amor... que nada, é apenas a ponta do iceberg. Amor mesmo é não abandonar a pessoa que ama quando tudo leva a você fazer isso. E é isso que se ver na história desse casal de velhinhos que tem uma cena bem marcante no final (que é claro, não vou dizer). Recomendo para todos assistir, principalmente para refleti na vida própria e naquele que se ama.

Com o prêmio do Oscar (junto com o Globo de Ouro e a Palma de Cannes), com certeza este filme ainda ficará um bom tempo nos cinemas. Essa é a oportunidade de quem não viu, aproveitem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Hei! Cuidado com que você vai comentar...
Posso também vomitar na sua cara, infeliz!!!

Outros Trecos...