A LONGA CAMINHADA (Não Necessariamente Para o Oeste)

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Gatinho de Rua



Estava eu ontem como sempre lamentando das minhas desgraças da vida, andando a esmo... quando me deparo com este gatinho: Sozinho, sem ninguém para ajudar, mas dormindo tranquilamente no meio da rua.

Ao observar-lo, percebi como sou um tremendo egoísta.

Atualmente estou com minha família em ruína: Minha mãe está doente, mentalmente e fisicamente; meu irmão mais velho sem emprego e com o futuro incerto; meu pai com glaucoma, ou seja, uma doença incurável. Além de que a minha vida acadêmica está uma droga e no campo do amor, não é apenas somente uma simples piada... e sim um circo inteiro!? Mas sim... e daí???

Resumindo: Tinha todos os motivos para amaldicioar para sempre o meu destino. Todavia, ao deparar com a realidade do gatinho, vejo que não tenho nada o que reclamar... pois este gato está dormindo quietinho, mas... quem garante que amanhã ele estará vivo?!? É triste, mas é a realidade da vida... principalmente dos bichanos, alvo certo para as "almas sebosas" que existem no mundo.

E é por causa disso que não posso me abater... não tenho este direito!

Um comentário:

  1. Nossa, André Luiz

    Dificuldades todos nós temos, com relação a família... Isso nem tenho o que comentar.

    Mas, quanto ao curso de Artes.. aconselho vc pagar eletivas de outros cursos. Conhecer gente nova, legal, etc... Novos ares são bons. Garanto que vc verá nosso curso com outros olhos.

    Sobre os gatos. São os seres perfeitos,"dizem" o que querem logo. E não são falsos como muitos afirmam. Apesar de sua aparente fragilidade, não temo por eles: São mais fortes que imaginamos!

    ResponderExcluir

Hei! Cuidado com que você vai comentar...
Posso também vomitar na sua cara, infeliz!!!

Outros Trecos...